MidiaMAIS

Foto mostra pedido de casamento de Allana a Cristiano Araújo

Imagem foi postada na rede social da estudante

Midiamax Publicado em 25/07/2015, às 17h22

None
pedido_de_casamento_-_g1.jpg

Imagem foi postada na rede social da estudante

O produtor executivo Rafael Vanucci publicou, neste sábado (25), uma foto nas redes sociais em que a estudante Allana Moraes, de 19 anos, pede o namorado, o cantor Cristiano Araújo, de 29, em casamento. O casal morreu há um mês em um acidente na BR-153, em Goiás.

Na imagem, a jovem aparece sorrindo, sentada em um sofá, com um cartaz no colo. No papel, ela escreveu: “Cris, quer casar comigo?”. Em seguida, a estudante desenhou um anel.

Junto com a foto, Rafael escreveu a mensagem: “Daria tudo para produzir e cuidar de todos detalhes deste casamento, Patroinha! Mas queria ser padrinho!”.

Três horas após a publicação, mais de 9,5 mil fãs haviam curtido o post e 400, comentado. Na maioria das mensagens, os internautas elogiam a estudante.

O acidente que matou o cantor e a namorada aconteceu na madrugada de 24 de junho. O carro do sertanejo capotou quando ele voltava para Goiânia após um show em Itumbiara, no sul do estado. Além do casal, estavam no automóvel o empresário Victor Leonardo e o motorista Ronaldo Miranda. Eles se feriram, mas receberam alta médica dias depois.

Homenagens

Na última sexta-feira (24), quando se completou um mês da morte do casal, várias homenagens foram feitas. Centenas de pessoas visitaram os túmulos da estudante e do cantor, no Cemitério Jardim das Palmeiras, em Goiânia. O pai do sertanejo, João Reis, também foi ao local e participou de uma oração junto aos fãs.

Irmão de Cristiano, Felipe Araújo fez uma tatuagem na perna para homenagear o irmão. Além do nome do músico, ele desenhou uma cruz, um violão e uma bola de futebol para “lembrar as coisas que mais gostavam de fazer juntos”.

Na quarta-feira (22), para lembrar um mês da morte do sertanejo, familiares e amigos participaram de uma missa realizada na Paróquia Nossa Senhora da Assunção, no Conjunto Itatiaia, em Goiânia, onde Cristiano costumava frequentar. Cerca de 2,5 mil pessoas assistiram à cerimônia.

No início da missa, o padre Marcos Rogério de Oliveira ressaltou que o músico, apesar da rotina corrida, fazia questão de participar da Missa da Família, sempre às quartas-feiras. Um vídeo gravado no local mostra o sertanejo cantando durante uma celebração.

Felipe fez outra homenagem ao irmão durante a celebração. Ele subiu ao altar e cantou a música “Noites Traiçoeiras”, do Padre Marcelo Rossi. Na ocasião, Felipe revelou que Cristiano sempre cantava essa canção quando ia a missas.

A cerimônia ocorreu na mesma igreja onde foi celebrada a missa de 7º dia do sertanejo, no dia 1º de julho. Na ocasião, cerca de 5 mil pessoas estiveram presentes para homenagear o artista, entre familiares, amigos, fãs e integrantes da banda.

Acidente

O acidente que matou o cantor e a namorada aconteceu na altura do km 614 da BR-153, entre Morrinhos e o trevo de Pontalina. Allana morreu ainda no local e Cristiano chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Municipal de Morrinhos. Depois, ele foi transferido até o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Apesar dos esforços para socorrê-lo, o sertanejo não resistiu aos ferimentos.

O casal foi velado junto no Palácio da Música, localizado no CCON (Centro Cultural Oscar Niemeyer), em Goiânia. Segundo a Polícia Militar, cerca de 50 mil pessoas estiveram no local.

Ambos foram enterrados no dia 25, no Cemitério Jardim das Palmeiras. Mais de 1,5 mil pessoas acompanharam o enterro do cantor. Os presentes deram uma salva de palmas e cantaram vários sucessos do artista durante a despedida.

Investigação

A Polícia Civil ainda não concluiu a investigação das causas do acidente. De acordo com o delegado Fabiano Henrique Jacomelis, responsável pelo caso, o inquérito depende de laudos da Polícia Técnico-Científica para ser concluído.

Logo após o capotamento, o delegado solicitou perícia do local do acidente, do veículo e das rodas. Entre os laudos está a análise que deve determinar se Cristiano e Allana usavam cinto de segurança. Há a suspeita de que estavam sem o equipamento, já que ambos foram arremessados do veículo, segundo o delegado.

O superintendente interino da Polícia Técnico-Científica de Goiás, César Augustus Adorno Ferreira Lima, prefere não determinar um prazo para a conclusão dos laudos, mas afirma que os peritos estão “trabalhando com afinco” nas análises.

Jornal Midiamax