MidiaMAIS

Espetáculo sobre vida de “Rubens Corrêa estreia terça

Entrada é franca e apresentações vão até sexta-feira

Midiamax Publicado em 21/02/2015, às 21h51

None
rubens.jpg

Entrada é franca e apresentações vão até sexta-feira

A Associação Artística Cultural Palco de Artes Cênicas/Grupo Teatral Palco Sociedade Dramática com o apoio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), estreia o espetáculo “Rubens Corrêa, um grande Artaud de Aqui”, no Teatro Aracy Balabanian do Centro Cultural José Octávio Guizzo, na próxima terça-feira (24), às 20 horas. Com apresentações também nos dias 25, 26, 27 e 28 de fevereiro, no mesmo horário. O espetáculo tem entrada franca, duração aproximada de 60 minutos e classificação de 10 anos.

 A dramaturgia é organizada com trechos  de obras de Artaud, roteirizado e encenado pela lendária dupla de sócios do Teatro Ipanema do Rio de Janeiro, o ator Rubens Corrêa e o diretor Ivan de Albuquerque no final dos anos 1980 e conta ainda com colagens de textos de William Sheakespeare, da obra Hamlet e ainda textos do ator, dramaturgo e diretor Espedito Di Montebranco.

Espedito mostrará na peça um pouco da vida e obra deste grande ator nacional e ao mesmo tempo sua paixão pela obra do poeta e escritor Francês Antonin Artaud, buscando colocar em cena as lembranças de Rubens Corrêa em Aquidauana, o internato no Rio de janeiro, a paixão pelo teatro, a descoberta de sua paixão por interpretar loucos, velhos e tarados e a paixão pela obra de Antonin Artaud, quando o ator  passa a interpretar trechos adaptados da obra em um dos hospitais psiquiátricos onde ele esteve internado no fim de sua vida, falando sobre o teatro, sobre sua forma de ver o mundo, a psiquiatria e sobre Van Gogh, a loucura e a liberdade.

“A morte é para mim um fenômeno compreensível, totalmente aguardada, minha relação com ela é tranquila”, citou Rubens Corrêa, em uma entrevista ao Jornal do Brasil dois meses antes de morrer em 1996 vítima da Aids. Essa relação conturbada na infância, quando sentia-se perseguido por todos os fantasmas e que piorou mais ainda quando aos sete anos perdeu o pai e o mesmo virou um fantasma maior, que Rubens via no portão de casa tentando entrar a força é um dos argumentos utilizados na peça.

O espetáculo recebeu investimentos do Prêmio Funarte de Teatro Myrian Muniz de Teatro 2012/Ministério da Cultura/Governo Federal e Prêmio Rubens Corrêa de Teatro 2013 – Fundação de Cultura de MS/Governo do Estado de MS.

Serviço – Os Ingressos deverão ser retirados uma hora antes de cada apresentação na bilheteria do teatro, para escolas interessadas em agendamento entrar em contato com Espedito Di Montebranco pelo telefone 9903 4865. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 3317-1795 ou no Centro Cultural José Octávio Guizzo, que fica localizado na rua 26 de Agosto, 453, entre a Calógeras e a 14 de Julho.

Jornal Midiamax