MidiaMAIS

De minissapatilha a grampos de cabelo; conheça a loja com tudo que uma bailarina sonha

Empresária é uma ex-bailarina que entende muito bem do assunto

Carol Alencar Publicado em 14/04/2015, às 09h24

None
_mg_0592.jpg

Empresária é uma ex-bailarina que entende muito bem do assunto

Um espaço dedicado aos amantes da dança mais encantadora do último século: o balé. A suavidade da dança é vista em cada detalhe que a loja Mercearia da Dança oferece a seus clientes, só que com um único e exclusivo diferencial, a dona. 

Patrícia Signoretti é bailarina por paixão e resolveu investir em uma loja que cada detalhe é escolhido a dedo e claro, pensado com amor para quem, assim como ela, ama o balé.

“Eu dancei a vida toda e, consequentemente conheço cada detalhe deste mundo…sei muito bem que a bailarina conversa com a amiga, através do espelho e ao contrário de uma empresária qualquer, eu falo diretamente com o meu cliente”, conta.

Do cliente ou do minicliente, a empresária diz que muitas mães de bailarinas chegam com as filhas e se encantam com as inúmeras opções de mimos a serem adquiridos pelas pequeninas que sonham entrar no mundo fantástico do balé.

“O bacana é os pais incentivarem os filhos a seguirem alguma dança, esporte, enfim… gosto de chegar na filha bailarina da cliente e conversar com ela, porque ela é que está neste universo e que vai conseguir me explicar o que está precisando”.

A começar pela vitrine, considerada um luxo o corpete que a bailarina pode ter. De redinha para o tradicional coque de bailarina até a trouxinha de costura contendo alfinete, agulha e linha – para caso a bailarina precise em uma emergência, passando por mimos como lapisinho e caderninho de bailarina, post it com capinhas que ligam o tema até grampos de cabelo. Na loja tem tudo que a bailarina sonha em ter.

“Ah, quando a gente gosta de uma determinada coisa é bacana ter tudo, desde figurino, acessórios e ‘coisinhas’ daquela coisa…aqui é assim, uma mistura de tudo que a bailarina quer ou sonha em ter”, ressalta.

Aos adeptos de outras danças, podem ficar despreocupados. A loja se chama Mercearia da Dança justamente para atender a todos que adoram um palco, espetáculo ou número.

Ainda segundo a empresária-bailarina, a loja oferece produtos ligados à dança do ventre, flamenco, jazz, balé fit e até dança de salão. “Temos produtos de qualidade, alguns importados, mas que atendem a todos que amam a dança em si”, avalia.

Vida de Bailarina

Como tudo que se ama tem um preço, Patricinha, como é conhecida pelos amigos, não mediu esforços e enfrentou o pai para poder fazer o que ama: o balé.

Aos 46 anos, ela tem no currículo uma trajetória que já passou por faculdades, como a de pedagogia (ligou ‘o ser professora’ para poder dar aulas de balé) até chegar aos palcos, onde junto do grupo Ginga, atuou por 15 anos.

“Minha mãe quis me colocar em alguma coisa, porque eu era muito magra [risos] e fiz de tudo, até basquete, mas foi no balé que me encontrei, antes mesmo de fazer oito anos”, revela Patricinha. Um fator que a fez despertar pelo balé foi o espetáculo Cinderella, onde ela se encantou quando acompanhou o Ballet da Ópera de Paris, na França.

Das academias de balé, Patricinha, que é nascida em Santos (SP), mas que mora em Campo Grande desde pequenininha, passou por quase todas da Capital. Já aulas, ela começou a ministrar mesmo aos 16 anos.

“Eu comecei a ver a dança de uma maneira diferente e foi no balé que me identifiquei; passava dias pesquisando, ensaiava até de madrugada, dançamos em Festivais e sempre estou aberta a amparar e orientar quem quiser seguir o mesmo caminho”.

Além da loja, a empresária-bailarina alimenta um blog – ‘Mãos Que Dançam’ que dá dicas e referências sobre dança. Para saber mais sobre a loja é só acompanhar no Facebook e Instagram.  

Jornal Midiamax