MidiaMAIS

Bienal de Teatro de MS traz espetáculos ‘MaKunaima na terra de Pindorama’ e ‘Inocência’

Com apoio do Fundo de Investimentos Culturais da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, acontecem de 12 a 16 de setembro em Campo Grande os espetáculos, oficinas, mostras, conferências e apresentações da segunda edição da Bienal de Teatro. Mais de 30 atrações esperam pelo público em ruas, teatros e espaços públicos. Em sua […]

Arquivo Publicado em 15/09/2012, às 11h08

None

Com apoio do Fundo de Investimentos Culturais da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, acontecem de 12 a 16 de setembro em Campo Grande os espetáculos, oficinas, mostras, conferências e apresentações da segunda edição da Bienal de Teatro. Mais de 30 atrações esperam pelo público em ruas, teatros e espaços públicos.


Em sua primeira edição, a Bienal incluiu e desenvolveu as potencialidades dos espetáculos, com os holofotes voltados aos grupos do interior de Mato Grosso do Sul. A segunda edição vai além. O objetivo é aproximar o que é produzido e discutido nos centros culturais do Brasil, alinhando o pensamento da classe artística de Mato Grosso do Sul com o que é moderno e contemporâneo.


Neste sábado (15) será apresentado Inocência, com Conectivo Corpomancia (MS), no Teatro Aracy Balabanian (R$ 10,00 e R$ 5,00), às 20 horas.


O espetáculo de dança parte do olhar de três intérpretes com experiências distintas que se relacionam através da dança com os temas despertados por uma leitura atual do livro “Inocência”. Renata Leoni, bailarina e produtora de dança, que volta aos palcos depois de 12 anos, Camila Emboava, bailarina e jornalista, em seu primeiro trabalho com dança contemporânea e Guilherme Leoni, ilustrador e filho de Renata, pela primeira vez no palco. Publicado em 1872, o livro foi um marco do romance regionalista brasileiro e pode-se dizer que é o romance símbolo de Mato Grosso do Sul. O livro foi escrito a partir de uma viagem do autor pela região e tem grande importância na literatura nacional por retratar o sertão brasileiro de forma realista.

Jornal Midiamax