Geral

Pacientes reclamam de demora no atendimento e falta de médicos em unidades de saúde

Pacientes reclamaram de demora no atendimento e sujeira nos sanitários

Midiamax Publicado em 02/01/2015, às 19h07

None
img-20150102-wa0086.jpg

Pacientes reclamaram de demora no atendimento e sujeira nos sanitários

Moradores de Campo Grande que precisam utilizar o SUS (Sistema Único de Saúde) estão reclamando da falta de médicos e demora no atendimento nas unidades de saúde De Campo Grande. Na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Dr. Walfrido Azambuja de Arruda, no Coronel Antonino os paciente tiveram que esperar por mais de três horas para que fossem atendidos. A situação também se repetiu no CRS (Centro Regional de Saúde) Dr. Guinther Hans, no Nova Bahia, na região norte da Capital.

A auxiliar de limpeza Jaqueline da Silva Ricaldas, de 30 anos, que acompanhava a filha de 13, disse que chegou por volta das 10 horas e foi aconselhada a retornar à noite.  “A enfermeira falou que iria demorar e que era melhor a gente ir embora e voltar de noite. Minha filha  ficou aí sentada, com dor. Acho que não tinha médico porque não chamavam ninguém”, relatou. 

Gestante de 17 semanas, Diennede Rayanne Arce Rodrigues, de 24 anos, afirmou que chegou sentindo dores e que teve de esperar por 3h45 para que fosse atendida. “Acho que é muita falta de consideração. Tomei remédio por conta própria para que minha dor passasse, mas e se acontecesse alguma coisa com meu bebê, quem iria se responsabilizar?”, questionou.

De acordo com a escala de plantão médico, divulgada pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), na manhã de hoje deveriam ter quatro médicos para pacientes adultos e à tarde seis, no entanto, os pacientes informaram que durante a manhã havia três médicos prestando atendimento.

A enfermeira chefe da unidade, Sandra Cristina de Souza, explicou que uma das médicas escaladas para o plantão apresentou atestado médico e que foi solicitado apoio da equipe móvel para atender os pacientes. Ela justificou que a demora se deu por conta da demanda acima do esperado.

Segundo a enfermeira chefe da unidade, 390 pacientes foram recepcionados até às 14h35 e entre eles, 40 ainda aguardavam por atendimento, seis esperavam pela classificação de risco e os outros 344 já haviam sido consultados.

Além da demora no atendimento, os pacientes reclamaram sobre a falta de copos e a sujeira nos sanitários. O eletroeletrônico, Valdercir Molitor, de 45 anos, acompanhava a filha ao médico e ficou insatisfeito com a situação dos banheiros.

“A descarga está estragada e o odor é muito forte. É muita sujeira, isso é horrível”, lamentou. A enfermeira chefe alegou que não estava sabendo da situação e disse que vai solicitar os serviços da equipe responsável pela limpeza.

CRS Nova Bahia – O vendedor, Juzelio Pinheiro de Souza, de 27 anos, disse que está no posto desde as 10 horas e que até o momento não recebeu atendimento. “Os atendentes não informam nada e a gente fica esperando. Isso é uma falta de respeito”, declarou.

Conforme a escala de plantão médico, divulgada pela Sesau, pela manhã deveriam ter quatro médicos para pacientes adultos e à tarde três, no entanto, os pacientes informaram que durante a manhã havia três médicos e à tarde apenas um.

Segundo os pacientes, eles foram informados de que a demora é devida a tabela de classificação de risco, que prioriza os atendimentos de urgência. A equipe de reportagem do Jornal Midiamax não conseguiu falar com os responsáveis pela unidade de saúde.

Jornal Midiamax