Geral

MST abre novo acampamento a fim de assentar 500 familias em Sidrolândia

O movimento pretende assentar as familias na antiga usina JPar

Midiamax Publicado em 10/01/2015, às 14h56

None
acampamento_mst_2003.jpg

O movimento pretende assentar as familias na antiga usina JPar

O MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) abriu um novo acampamento em Mato Grosso do Sul. O movimento pretende assentar famílias em uma área de 9 mil hectares na antiga Usina JPar, localizada no distrito de Quebra Coco, pertencente à Sidrolândia,  a 70 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com o diretor regional do MST, Jonas Carlos da Conceição, há 100 familias acampadas no local, contudo, esse número deve crescer, já que mais integrantes do movimento devem chegar ao acampamento.

“Por enquanto temos cerca de 100 familias, mas esperamos que cheguem, até a próxima semana, mais 400, totalizando 500 familias”, explica o diretor.

Jonas ressalta que a área pertencente à usina está improdutiva há muitos anos e é ideal para assentar produtores rurais sem terra.

O caso

A usina faliu há cerca de três anos e acumula dívidas trabalhistas. Alguns trabalhadores esperam receber R$ 80 mil.

Na ocasião da falência, o MPT (Ministério Público do Trabalho) entrou com uma ação trabalhista a fim de receber os salários atrasados dos cerca de 1.000 trabalhadores.

Desta forma, O juiz da 7ª Vara do Trabalho de Campo Grande, Renato Luiz Miyasato de Faria, proferiu sentença determinando, além do pagamento dos salários atrasados, que a usina pagasse dano moral individual para cada trabalhador de R$ 10 mil.

Além disso, foi fixado o pagamento de dano moral coletivo de R$ 5 milhões. Todavia, muitos trabalhadores ainda não receberam suas verbas trabalhistas.

Jornal Midiamax