Geral

Loja de baterias emite nota de pneus para Prefeitura com suspeita de sobrepreço

Preço dos pneus chega a ser 70% mais caro do que os praticados no mercado

Ludyney Moura Publicado em 19/02/2015, às 23h03

None
pneu.jpg

Preço dos pneus chega a ser 70% mais caro do que os praticados no mercado

Uma nota fiscal de R$ 90.120,00 para a compra de 120 pneus de camionetes, vans e utilitários intriga até membros da administração municipal. O documento foi emitido por uma loja de baterias que garante não comercializar pneus e o recurso foi retirado do Fundo Municipal de Saúde. Porém, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o órgão sequer compra pneus para automóveis.

Segundo a nota, a compra foi feita em novembro de 2014. Segundo denúncia, os pneus não nem sido vistos na Prefeitura. Procurada, a empresa, ‘O Ponto Das Baterias’, afirmou que não vende pneus ‘há muito tempo’. Mesmo assim, questionado sobre a nota fiscal, o gerente da empresa, que se apresentou como Júnior, confirmou que havia vencido uma licitação da prefeitura.

No entanto, Junior afirmou que não se lembrava da data nem do número do processo licitatório. A transação foi realizada há menos de três meses. “Liga lá na prefeitura que eles devem ter”, desconversou quando questionado sobre os detalhes da negociação.

Outra dado que chama a atenção no negócio, é que para a emissão da Nota Fiscal, a empresa utilizou suposta placa de veículo que aparece inexistente, segundo o Sinesp (Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública). A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou que a pasta ‘não realiza a compra de pneus de automóveis’, serviço que é feito pela Semad (Secretaria Municipal de Administração).

A prefeitura foi procurada, mas não retornou o contato até o fechamento da matéria. Como o Portal de Transparência da Prefeitura de Campo Grande está defasado, e diante da ausência de respostas da assessoria, apenas a Sesau informou que não mantém em sua lista de fornecedores a empresa ‘O Ponto Das Baterias’.

Por 16 pneus 255/70 R16, usados por camionetes, a prefeitura teria pago, com recursos da saúde, R$ 12.640,00, ou R$ 790 por unidade, sem especificação de marca. O mesmo produto pode ser encontrado no varejo, uma única unidade, por até R$ 469,00, valor oferecido nas Lojas Americanas por um pneu da marca Marshal, considerado um produto de ‘alta performance’. No atacado o preço pago foi quase 70% mais caro que no varejo.

Já por 104 pneus 205/75 R16, o município teria gasto R$ 77.480,00, ou R$ 745 por unidade. No Extra Hipermercado, o mesmo produto, também da marca Marshal, pode ser encontrado por até R$ 471,88, ou seja, no varejo o produto é quase 60% mais barato que o valor no atacado pago pela gestão de Gilmar Olarte (PP).

Dados obtidos no Portal de Transparência do Governo Federal mostram que o Fundo Municipal de Saúde, em nome de quem a empresa emitiu as notas fiscais, recebeu em 2014 mais de R$ 333 milhões de transferências de recursos da União.

Jornal Midiamax