Geral

Fiscalização maior do Corpo de Bombeiros aos clubes por conta do Carnaval

Rigor para se evitar acidentes durante o feriado: em 2014 foram 50 vítimas de afogamento

Midiamax Publicado em 12/02/2015, às 22h30

None
878124ce123e3739452ee27239ec7aae_l.jpg

Rigor para se evitar acidentes durante o feriado: em 2014 foram 50 vítimas de afogamento

No ano passado, durante o feriado de Carnaval, o Corpo de Bombeiros atendeu 50 ocorrências de afogamentos, sendo 75% no interior do Estado. Para evitar problemas como esse, e diminuir as estatísticas de acidentes no período, a corporação resolveu intensificar a fiscalização nos clubes sociais e áreas de concentração de turistas e foliões locais. O controle promete ser rigoroso.

De acordo com o diretor de Atividades Técnicas do Corpo de Bombeiros, coronel Joilson Santos De Paula, o prazo para solicitar alvarás para os bailes de carnaval junto à instituição já expirou, mas cerca de 80% dos clubes do Estado permanecem irregulares. “A lei determina a apresentação de projeto junto ao Corpo de Bombeiros com uma antecedência de 20 dias”, explicou.

Os clubes irregulares já foram notificados, segundo o coronel De Paula. “Fizemos a notificação e caso insistam em abrir ao público durante esse período podem ser multados e interditados pelas Polícia Militar e Polícia Civil, que estarão realizando a fiscalização, e ainda pelo Corpo de Bombeiros, caso haja alguma denúncia”, disse.

Com relação aos clubes aquáticos e balneários, o diretor de Atividades Técnicas do Corpo de Bombeiros explicou que a grande maioria recebeu certificação e os poucos que apresentaram alguma irregularidade durante a fiscalização precisam fazer as adequações necessárias. “Em Bonito, por exemplo, quase todos os clubes e balneários estão regulares, normalmente as adequações são com relação a extintores vencidos, falta de guarda vidas, o que pode rapidamente ser solucionado”, explicou De Paula.

Exigências

Para o funcionamento de clubes aquáticos e balneários, algumas regras que precisam ser observadas, entre elas, a afixação do Certificado de Vistoria do Corpo de Bombeiros Militar (CVCBM) na entrada e visível ao usuário, a presença de pelo menos 2 guarda-vidas a cada 500 metros quadrados de lâmina d’água, sinalização de profundidade visível a todos os banhistas e nos rios, delimitação de área segura para banhistas.

Caso o clube ou balneário não esteja cumprindo essas normas, o usuário deve imediatamente entrar em contato com o Corpo de Bombeiros através do número 193 e fazer uma denúncia, que inclusive pode ser anônima, que iremos checar e em caso de comprovação da irregularidade o estabelecimento será fechado e multado”, alerta De Paula.

Orientações aos banhistas

O Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul pede aos banhistas que evitem ingerir bebidas alcoólicas, bem como, grandes quantidades de alimentos, pois se o fizer, ao entrar na água pode sofrer congestão e até mesmo ser vítima de afogamento.

Em 2014, Mato Grosso do Sul teve 50 vítimas de afogamento, 48 em rios e dois em baldes ou reservatórios. Foram 38 afogamentos no interior e dez em Campo Grande.

Mães, pais e responsáveis devem redobrar atenção com crianças, que devem entrar na água somente acompanhadas de pessoas que saibam nadar e tenham capacidade de prestar socorro, caso seja necessário.

Antes de entrar em barcos e embarcações aquáticas é preciso verificar se o piloto está habilitado e exigir o uso de coletes salva-vidas. E, caso não saiba nadar evite entrar em rios e piscinas.

Jornal Midiamax