Geral

William Bonner esclarece dívida com Receita Federal e diz que “não é candidato”

Em meio a uma cobertura política, William Bonner, 50, também foi alvo de uma fofoca ao longo desta semana. A empresa do jornalista, a “William Bonner Produções S/C Limitada”, foi acusada de estar devendo R$ 78 reais para a Receita Federal. Para esclarecer a notícia, o âncora do “Jornal Nacional” usou o seu perfil no […]

Arquivo Publicado em 29/08/2014, às 15h07

None
1499778340.jpg

Em meio a uma cobertura política, William Bonner, 50, também foi alvo de uma fofoca ao longo desta semana. A empresa do jornalista, a “William Bonner Produções S/C Limitada”, foi acusada de estar devendo R$ 78 reais para a Receita Federal.


Para esclarecer a notícia, o âncora do “Jornal Nacional” usou o seu perfil no Twitter na última quinta-feira (28) para explicar o problema com o órgão do governo.


“Em 2010, a Receita equivocadamente aplicou multa de R$ 78 (setenta e oito reais) por mora. Irrisória, mas indevida, na minha opinião”, escreveu ele na rede social. “O meu contador recorreu. Mas a defesa do meu direito de contribuinte virou fofoca nesses dias de entrevistas com os candidatos [à Presidência da República]. Coincidências”, continuou.


Apesar de acreditar que a multa foi injusta, Bonner afirma que ela está quitada. “E lá foi o tio pagar o que, de fato e de direito, não devia. Atualizados, os R$ 78 viraram R$ 500, mais ou menos”, explica o jornalista da Globo. Ele ainda publicou documentos que comprovam a regularidade da empresa.


Por fim, Bonner mandou um recado para os responsáveis por essa fofoca. “O tio não é candidato a nada. Como a maioria dos brasileiros, anda na linha e não gosta de pagar pelo que não deve. Mas, neste caso, a multa indevida valeu o gostinho de ser o estraga-prazeres dos robozinhos.”


Nos últimos dias, William Bonner tem comandado, junto com Patrícia Poeta, 37, uma série de entrevistas com os principais candidatos à Presidência da República no “Jornal Nacional”. Para a surpresa do público, o jornalista tem pressionado os políticos nas conversas e feito perguntas polêmicas. Na Globo, o âncora ganhou até um apelido entre os colegas de trabalho.

Jornal Midiamax