Geral

Vizinhos confirmam versão de proprietários que confusão em baile funk começou do lado de fora

Os vizinhos da dona da casa, localizada na Rua Sagarana, no Jardim Panamá, confirmam que no local acontece festas há cerca de dois anos e que nunca havia acontecido nenhuma confusão. Os moradores também dizem que a baderna que destruiu a residência na madrugada deste domingo (6) e deixou um ferido a tiro se iniciou […]

Arquivo Publicado em 06/04/2014, às 14h35

None

Os vizinhos da dona da casa, localizada na Rua Sagarana, no Jardim Panamá, confirmam que no local acontece festas há cerca de dois anos e que nunca havia acontecido nenhuma confusão. Os moradores também dizem que a baderna que destruiu a residência na madrugada deste domingo (6) e deixou um ferido a tiro se iniciou do lado de fora da festa.

Conforme os moradores, sempre acontece festas no local e apesar do som alto nunca houve nenhuma confusão que os incomodassem. “Todas as festas tem som alto, claro, mas nunca houve confusão. Nunca houve problemas”, afirmam, dizendo conhecer a morada e que ela nunca causou problema a ninguém.

Os vizinho afirmam também que havia muita gente do lado de fora da festa, e que um grupo isolado, começou a beber e a usar drogas. Quando foi um determinado momento, este mesmo grupo tentou invadir a festa e começou a confusão.

Houve uma briga do lado de fora e por volta de uma hora da madrugada os moradores ouviram algumas pessoas indo embora dizendo que voltariam para pegar um rapaz, que eles acreditam ser Thiago Moreira dos Santos, de 20 anos, que foi baleado.

“Quando foi por volta das duas e pouco ouvimos barulho e gritaria. Aos gritos, dizendo ‘facção do oeste’ eles começaram a forçar a entrada e invadiram a festa”, afirmam os moradores.

Os vizinhos ainda contam que a rua estava cheia de carro e os veículos que ficaram do lado de fora foram destruídos na confusão. Um opala, conforme eles, ficou irreconhecível.

Um rapaz que tentou fugir de moto, diante da confusão, foi retirado do veiculo a ‘capacetadas’ e teve a motocicleta toda destruída.

Com medo, muitas meninas pediram guarita, contam os vizinhos.

Ainda de acordo com os moradores, eles também acionaram a polícia, por volta das 2h30, mas o socorro chegou quase uma hora depois.

Jornal Midiamax