Geral

Ucrânia: novos confrontos deixam pelo menos 21 mortos em Kiev

Pelo menos 21 pessoas morreram em novos confrontos entre manifestantes e as forças ucranianas, nesta quinta-feira, em Kiev. Segundo informações de um fotógrafo da Reuters, diversos corpos, cobertos com mantas, estavam no chão na região da praça da Independência, palco das manifestações que tomam conta do país. De acordo com o fotógrafo Vasily Fedosenko, seis […]

Arquivo Publicado em 20/02/2014, às 11h12

None

Pelo menos 21 pessoas morreram em novos confrontos entre manifestantes e as forças ucranianas, nesta quinta-feira, em Kiev. Segundo informações de um fotógrafo da Reuters, diversos corpos, cobertos com mantas, estavam no chão na região da praça da Independência, palco das manifestações que tomam conta do país.


De acordo com o fotógrafo Vasily Fedosenko, seis corpos foram vistos em uma área da praça e, a cerca de 100 metros de distância, havia outros quatro corpos no chão. Todos eram civis, disse.


Fedosenko também avistou outros corpos em frente ao hotel Ukraina, nas proximidades da praça da Independência. E disse ter visto ainda mais cadáveres em lugares próximos.


Já a AFP informou que ao menos 25 manifestantes morreram nesta quinta-feira. Um correspondente da agência observou os corpos de pelo menos 10 manifestantes na Praça da Independência, diante do hotel Kozatski. Outro repórter observou sete corpos na entrada do hotel Ukraina, do outro lado da praça.


A agência EFE também informou que pelo menos 13 corpos foram deixados em um ponto de ônibus da Praça da Independência.


O Ministério do Interior informou que um policial morreu e 29 ficaram feridos nos enfrentamentos desta manhã.


Os funcionários da sede do governo ucraniano em Kiev deixaram o local na manhã desta quinta-feira, em consequências dos novos confrontos no centro da cidade. “Todos os trabalhadores deixaram o local esta manhã. Recebemos uma ordem oficial”, disse uma funcionário, sem revelar detalhes.


A Presidência da Ucrânia culpou nesta quinta-feira os manifestantes por terem dado início à violência, com uso de atiradores, que resultaram em confrontos com a polícia e deixaram ao menos 15 mortos.


Em comunicado do gabinete, o presidente Viktor Yanukovich afirmou que os manifestantes “partiram para a ofensiva, (…) agindo em grupos organizados. Eles estão usando armas de fogo, inclusive atiradores com rifles. Eles estão disparando para matar.” A nota, publicada no site da Presidência, diz ainda que o número de mortos e feridos entre policiais chega a “dezenas”.


Apesar da trégua acordada entre o presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovich, e os líderes da oposição nessa quarta-feira, 19, acertada após o registro de pelo menos 28 mortes durante os confrontos de terça e quarta-feira, manifestantes e policiais voltaram a entrar em confronto nesta quinta-feira em Kiev, segundo informações das agências internacionais.


Tiroteios foram registrados, apesar de ainda ser incerta a origem dos tiros. Manifestantes foram vistos atirando coquetéis molotov sobre os membros das forças de segurança.


A revolta na Ucrânia teve início há três meses, quando o presidente se recusou a assinar um acordo com a União Européia, deixando o país mais próximo da Rússia. A população se revoltou e diversos confrontos foram registrados. Esta semana, os distúrbios ganharam força na terça-feira, 18. Até ontem, 28 pessoas já haviam morrido, segundo dados oficiais.

Jornal Midiamax