Geral

Torcedor argentino com histórico de violência é deportado do Brasil

Um argentino presente em uma lista negra por seu envolvimento em atos de violência em jogos de futebol foi deportado horas depois de chegar ao Brasil na segunda-feira, enquanto o país reforça sua segurança às vésperas da Copa do Mundo, disse um porta-voz da Polícia Federal nesta terça-feira. O homem, de 45 anos, está em […]

Arquivo Publicado em 10/06/2014, às 15h11

None

Um argentino presente em uma lista negra por seu envolvimento em atos de violência em jogos de futebol foi deportado horas depois de chegar ao Brasil na segunda-feira, enquanto o país reforça sua segurança às vésperas da Copa do Mundo, disse um porta-voz da Polícia Federal nesta terça-feira.

O homem, de 45 anos, está em uma lista fornecida pelas autoridades argentinas com mais de 2 mil membros de torcidas conhecidos como “barras bravas”, conhecidos por sua violência na Argentina.

“Ele chegou ao Aeroporto de Guarulhos perto das 9 horas de segunda-feira e foi mandado de volta à Argentina perto das 10 horas”, informou o porta-voz à Reuters. “Foi o primeiro caso que tivemos até agora.”

Mais de 50 mil torcedores argentinos são esperados no país para a Copa, muitos cruzando a fronteira em carros e ônibus.

Embora incidentes fatais sejam raros em Copas, os “barras bravas” têm um histórico de violência, do esfaqueamento de torcedores ingleses no México em 1986 a lutas entre si durante o último Mundial, na África do Sul, quatro anos atrás.

A Polícia Federal não quis identificar o argentino deportado, mas a mídia disse que seu nome é Daniel Atardo e que ele pertence à torcida do clube Rosário Central. Ele estava acompanhado de uma mulher cujo nome não estava na lista e seu destino era o Rio de Janeiro, disse a polícia.

Jornal Midiamax