Geral

Som alto termina em agressão entre vizinhos, na Vila Progresso

João Luiz Marques Jardim, de 56 anos, foi vítima de espancamento na noite de ontem, às 19h30min, após reclamar do som alto do vizinho, que fazia uma festa no domingo, na Rua Donizeti, na Vila Progresso – região sul de Campo Grande. A vítima foi agredida por oito adolescentes, por volta das 19h30min.  O filho […]

Arquivo Publicado em 24/03/2014, às 12h08

None

João Luiz Marques Jardim, de 56 anos, foi vítima de espancamento na noite de ontem, às 19h30min, após reclamar do som alto do vizinho, que fazia uma festa no domingo, na Rua Donizeti, na Vila Progresso – região sul de Campo Grande. A vítima foi agredida por oito adolescentes, por volta das 19h30min. 

O filho de João, identificado como Luiz Marques Jardim Neto, de 28 anos, foi até a casa do vizinho pedir para que abaixasse o som. Entretanto, convidados da festa não gostaram da ideia e começaram uma discussão com o rapaz, que foi até a delegacia registrar uma ocorrência sobre o caso. 
Enquanto isso, uma das convidadas, identificada como Silvia, de 49 anos, saiu da festa e foi até a casa dela, e contou o fato ao filho, Sandro, de 17 anos. O adolescente reuniu mais sete amigos e foram até a casa de Luiz tirar satisfação, mas o rapaz não estava lá, pois havia ido até a delegacia. 
O grupo começou a discutir com a mãe de Luiz, ocasião que, o marido dela João Luiz foi até o portão, armado com um facão. Os jovens se acalmaram, mas quando a vítima soltou a arma no quintal, os adolescentes começaram a agredir o idoso. 
Que só foi contido por testemunhas. O grupo fugiu em dois carros e a polícia ainda não conseguiu localizá-los. Já a vítima foi socorrida pela família e levada ao posto de saúde do bairro Tiradentes, porém, por conta da gravidade dos ferimentos, os médicos o encaminharam para a Santa Casa de Campo Grande. 
João Luiz teve traumatismo craniano, perdeu alguns dentes, perda de memória, teve o baço rompido, o que provocou hemorragia, e não sentia as pernas. Além disso, vomitou sangue. 
De acordo com a assessoria da Santa Casa, a vítima está na enfermaria, em estado estável, e já passou por diversos exames, entre eles, o neurológico. Já o caso foi registrado como tentativa de homicídio na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Piratininga. (Texto editado às 10h22 a pedido de envolvidos)
Jornal Midiamax