Geral

Shogun leva nocaute em Natal e “ressuscita” Henderson no UFC

O brasileiro Maurício Shogun estava com a luta nas mãos, mas um gancho avassalador de direita no terceiro round foi o suficiente para que o americano de 43 anos saísse com a vitória no UFC Fight Night deste domingo, em Natal (RN). O nocaute devastador “ressuscitou” a carreira do experiente Hendo, cuja última vitória na […]

Arquivo Publicado em 24/03/2014, às 01h37

None
1201671657.jpg

O brasileiro Maurício Shogun estava com a luta nas mãos, mas um gancho avassalador de direita no terceiro round foi o suficiente para que o americano de 43 anos saísse com a vitória no UFC Fight Night deste domingo, em Natal (RN). O nocaute devastador “ressuscitou” a carreira do experiente Hendo, cuja última vitória na categoria dos meio-pesados havia sido justamente contra Shogun, em novembro de 2011.

A pancada de Henderson quebrou o nariz de Shogun, que ainda tentou se defender de mais alguns golpes no chão, mas rapidamente o árbitro Herb Dean encerrou a luta. O resultado foi a quarta derrota do paranaense nos últimos seis combates – duas delas para Hendo. Já o americano se recuperou bem de suas três últimas lutas, perdidas para Lyoto Machida, Rashad Evans e Vitor Belfort.

Os dois primeiros rounds tiveram domínio do brasileiro. Com apoio da torcida, Shogun conseguiu acertar golpes contundentes em ambos os assaltos, mandando Henderson a knockdown e quase encerrando o combate no chão. Na terceira parcial, porém, um descuido foi o suficiente para a famosa bomba de direita do americano entrar. Shogun desabou, Henderson partiu para o ground and pound e logo a luta foi encerrada por nocaute técnico.

Nas demais lutas do card principal, Cezar Mutante foi o único brasileiro derrotado. O vencedor do TUF Brasil 1 e pupilo de Vitor Belfort foi surpreendido pelo americano C.B. Dollaway e perdeu o combate em apenas 39 segundos, sendo nocauteado com um contra-ataque perto da grade. Foi o primeiro revés de Mutante no UFC em quatro combates.

Já Léo Santos, vencedor do TUF Brasil 2, empatou com o norte-irlandês Norman Parke de forma majoritária – dois juízes deram o empate, enquanto um marcou vitória do brasileiro. A luta foi bastante amarrada e a arbitragem recebeu uma crítica via Twitter do presidente do UFC, Dana White, que reclamou da punição de um ponto dada a Parke por conta de o europeu ter puxado o calção de Léo Santos.

Fábio Maldonado, por sua vez, passou por apuros no primeiro round contra Gian Villante, sendo bastante pressionado no chão, mas dominou totalmente os dois assaltos seguintes e passou muito perto de nocautear o oponente com seu tradicional boxe. No fim, vitória por decisão unânime para o brasileiro nos meio-pesados.

Michel Trator também conseguiu sua vitória por decisão unânime em um combate muito duro contra o russo Mairbek Taisumov. E Rony Jason superou Steven Siler com um nocaute técnico no primeiro round, em decisão bastante contestada pelo lutador americano, que afirmou ter condições de seguir no combate.

Card preliminar tem nocaute espetacular e lutas rápidas

No card preliminar, apenas uma luta foi até o final: o brasileiro Francimar Bodão perdeu por decisão dividida do estreante holandês Hans Stringer. Em combate bem amarrado, os três rounds foram equilibrados e a pontuação final acabou com dois juízes dando vitória por 29 a 28 ao europeu, contra um juiz marcando o mesmo placar a favor do brasileiro. A torcida por Bodão não foi suficiente para influenciar o resultado do combate.

Já Godofredo Pepey protagonizou um lindo nocaute nos pesos pena, acertando uma joelhada voadora no israelense Noad Lahat logo no primeiro round. As outras três lutas também acabaram no primeiro assalto: Kenny Robertson finalizou Thiago Bodão, e o local Jussier Formiga conseguiu também uma finalização sobre Scott Jorgensen, arrancando o coro de “sou brasileiro” da torcida.

Por fim, Thiago Marreta venceu Ronny Markes por nocaute técnico, acertando um chute alto que deixou o oponente sem ar e terminando o combate no ground and pound.

Jornal Midiamax