Geral

RJ: Roberto Jefferson é encaminhado para presídio em Niterói

O ex-deputado federal pelo PTB e delator do esquema conhecido como mensalão, Roberto Jefferson, chegou por volta das 20h30 desta segunda-feira à Casa do Albergado Coronel PM Francisco Spargoli Rocha, em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro. O ex-parlamentar vestia uniforme do sistema penitenciário fluminense. Preso no início da tarde, o ex-deputado chegou […]

Arquivo Publicado em 25/02/2014, às 11h36

None

O ex-deputado federal pelo PTB e delator do esquema conhecido como mensalão, Roberto Jefferson, chegou por volta das 20h30 desta segunda-feira à Casa do Albergado Coronel PM Francisco Spargoli Rocha, em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro. O ex-parlamentar vestia uniforme do sistema penitenciário fluminense.

Preso no início da tarde, o ex-deputado chegou por volta das 16h15 desta segunda-feira ao presídio Ary Franco, porta de entrada do sistema penitenciário fluminense. Cerca de uma hora depois, foi encaminhado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu, onde passou por um check-up.

Jefferson foi preso e deixou sua residência em Comendador Levy Gasparian, interior do Rio de Janeiro, no início desta tarde. Jefferson seguiu em um carro da Polícia Federal à Superintendência da PF na Praça Mauá, região portuária da capital carioca, acompanhado por um carro da polícia e um terceiro automóvel com parentes.

No caminho para a PF, o ex-deputado passou pelo Instituto Médico-Legal (IML), onde fez exame de corpo de delito. Mais cedo, pouco depois do meio-dia, Jefferson recebeu e assinou o mandado de prisão expedido pela PF, seguindo a decisão de sexta-feira do Supremo Tribunal Federal.

“Como vocês estiveram aqui por vários dias, um sinal de respeito: está aqui, assinado. Vou apenas tomar um banho e descer com a Polícia Federal”, anunciou ao entregar cópias do mandado antes de retornar à residência para tomar banho e almoçar antes de se entregar em definitivo à polícia. Durante todo o tempo, o ex-deputado esteve acompanhado por agentes da PF.

“Serenidade e humildade, eu tenho que passar por isso”, resumiu Jefferson. “Eu estou preso e condenado, não tenho nada para esconder. Vou sem nenhum problema. E essa foi uma gentileza da Polícia Federal, mas não me importaria em descer (para o Rio de Janeiro) no camburão, sou um cidadão como outro qualquer”, disse.

“Eu penso que o Brasil melhorou. A fiscalização é intensa, eu leio todos os dias os jornais e penso que os políticos melhoraram seu comportamento, não dá mais para brincar com a opinião pública nacional”, comentou, sereno, sobre as prisões dos outros condenados pelo caso do mensalão. “Eu não vou debochar. Eu não sorrio da Justiça e não vou menosprezar o trabalho de vocês”.

Último passeio

Na tarde desse domingo, Jefferson passeou com sua Harley Davidson por  três horas. Ao voltar para casa, de capacete, jaqueta de couro e calça jeans, Jefferson disse a jornalistas que estava “desfrutando os momentos finais” da sua liberdade. Na chegada do passeio, ele também foi recebido por um comerciante que doou R$ 100 em dinheiro para ajudar a quitar a multa de R$ 720 mil determinada pelo STF.

O presidente licenciado do PTB e ex-deputado federal foi condenado a sete anos e 14 dias de prisão em regime semiaberto na Ação Penal 470. Jefferson deverá cumprir a condenação em um presídio do Rio de Janeiro.

“Faz parte da burocracia”, resumiu Jefferson hoje sobre os procedimentos tomados depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou sua prisão na última sexta-feira.

Segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Jefferson será encaminhado pela PF até o Presídio Ary Franco, em Água Santa, e depois levado à UPA – Dr. Hamilton Agostinho Vieira de Castro, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, para avaliação médica. A Seap não divulgou em que prisão o delator do mensalão ficará.

Jornal Midiamax