Geral

Prefeitura e Estado farão força-tarefa para combater violência no trânsito e cobrar Lei

A prefeitura de Campo Grande e o governo do Estado (tendo à frente a Secretaria de Justiça e Segurança Publica) decidiram formar uma força-tarefa com ações articuladas para inibir a violência no trânsito, que hoje responde por metade dos atendimentos prestados pelo SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e superlota os setores de urgência […]

Arquivo Publicado em 16/09/2014, às 16h09

None

A prefeitura de Campo Grande e o governo do Estado (tendo à frente a Secretaria de Justiça e Segurança Publica) decidiram formar uma força-tarefa com ações articuladas para inibir a violência no trânsito, que hoje responde por metade dos atendimentos prestados pelo SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e superlota os setores de urgência e emergência das UPAS (Unidades de Pronto Atendimento) e hospitais do SUS, estrangulando o sistema de saúde pública da Capital.

Estão sendo planejadas ações educativas, mas, sobretudo, a intensificação da fiscalização para coibir o excesso de velocidade e que motoristas alcoolizados continuem dirigindo, as duas principais causas dos acidentes. “É necessário voltar a cobrar lei seca cobrada”, sustenta prefeito Gilmar Olarte que lançou a proposta da formação desta força-tarefa. Dentro desta estratégia devem ser feitas operações de madrugada aos finais de semanas e feriados ao longo da Avenida Afonso, que concentra os bares e casas noturnas mais movimentadas da cidade.

A estratégia foi definida nesta terça-feira (16) numa reunião no gabinete do secretário de Justiça e Segurança Pública,Vantuir Jacini. “Temos que nos unir inicialmente numa ação pedagógica para chamar atenção da sociedade para esta autêntica epidemia que vivemos hoje, o da violência no trânsito”, sustentou o prefeito Gilmar Olarte. Além desta ação pontual (um “dia D” contra a violência no trânsito) o prefeito cobra medidas permanentes para reverter esta situação. “Não podemos continuar assistir de forma passiva as pessoas se matando ou ficando incapacitadas”, avaliou o prefeito

Gilmar Olarte defende a participação da Polícia Rodoviária Federal (com jurisdição para atuar no Macro Anel Rodoviário) e das Forças Armadas (Exército e Aeronáutica) que poderiam contribuir posicionando suas tropas em locais críticos no planejado dia “D” contra à violência do trânsito. “Já treinamentos guardas municipais para ajudar o trabalho de fiscalização dos agentes da Agetran”, informou o prefeito.

O secretário Vantuir Jacini reconheceu que depois de um ímpeto inicial forte de fiscalização forte para se cumprir a Lei Seca, houve um certo afrouxamento, em parte diante da reação da sociedade que contraditoriamente, não percebeu a importância de se inibir que motoristas continuem dirigidos sob os efeitos do álcool.

Como entre os próximos dias 18 e 26 de Setembro já estão programadas uma séries de ações educativas e de fiscalização durante a Semana Nacional do Trânsito, o trabalho conjunto entre o Governo do Estado e a Prefeitura será desencadeado a partir de outubro. Além das forças de segurança, Detran, Agetran, a força-tarefa que começou a ser planejada terá também o envolvimento das Secretarias de Saúde e Assistência Social, já que tanto a questão do alcoolismo, quanto do uso de drogas, não devem ser tratadas, conforme o secretário Vantuir Jacini, apenas pela ótica da segurança pública, mas sobretudo, como um problema de saúde pública que tem um componente social.

Jornal Midiamax