Geral

Polêmica envolvendo menina com cicatrizes expulsa de KFC pode ser farsa

O caso da menina que foi expulsa de uma unidade da rede de restaurantes KFC, nos Estados Unidos, por assustar os demais clientes por ter cicatrizes no rosto pode ser uma farsa. O jornal “Lauren Leader-Call” publicou um artigo nesta terça-feira (24), acusando a família de criar a história para arrecadar dinheiro. Além de ganhar […]

Arquivo Publicado em 25/06/2014, às 14h01

None
2122341565.jpg

O caso da menina que foi expulsa de uma unidade da rede de restaurantes KFC, nos Estados Unidos, por assustar os demais clientes por ter cicatrizes no rosto pode ser uma farsa. O jornal “Lauren Leader-Call” publicou um artigo nesta terça-feira (24), acusando a família de criar a história para arrecadar dinheiro.

Além de ganhar um tratamento estético gratuito, a família recebeu mais de R$ 290 mil em doações pela internet com a história. O KFC doou ainda mais R$ 69 mil após a divulgação do caso nas redes sociais.

De acordo com a publicação do jornal, as câmeras de segurança do estabelecimento, localizada na cidade de Jackson, no Estado do Mississipi, não filmaram nenhuma criança na hora em que o incidente teria ocorrido.

Diante da acusação, os familiares utilizaram novamente a rede social para negar a farsa. “Eu juro que não é uma farsa, eu nunca imaginei que isso se espalharia desta forma. O artigo que circula na web é falso. Ele mesmo diz que a investigação não foi concluída. Isso não termina até que o KFC divulgue um pronunciamento”, diz a publicação postada na página Victoria’s Victories.

O caso

Victoria perdeu o olho direito e tem agora cicatrizes na boca e no nariz após ter sido mordida por cães da raça pitbull em abril deste ano. A família da menina denunciou através do Facebook a conduta dos funcionários, que pediram que a criança deixasse o local por estar incomodando outras pessoas que comiam.

“Será que este rosto parece assustador para você? Na semana passada, no KFC de Jackson, em Mississippi, este rosto precioso foi convidado a sair do local, porque estava assustando os clientes. Eu nunca mais vou por o pé em outro KFC e, pessoalmente, escreverei para o CEO da empresa”, disse a mãe da menina em uma postagem no Facebook.

Após a publicação, responsáveis pela rede abriram uma investigação para descobrir e punir os funcionários que colocaram a família para fora.

“Temos tolerância zero para qualquer tipo de ações ofensivas ou desrespeitosas para com os nossos clientes. Nossa investigação está em curso. Estamos em contato com a família e estamos empenhados em fazer algo apropriado para esta linda menina e sua família”, informou Rick Maynard, porta-voz da empresa.



Jornal Midiamax