Geral

ONG: 2.493 foram detidos nos protestos de 2013; 8 morreram

Estudo da ONG artigo 19, publicado nesta segunda-feira, revela que 2.493 pessoas foram presas e oito morreram nas 696 manifestações realizadas em 2013. A entidade destaca ainda que 117 jornalistas foram feridos ou agredidos e 10 foram detidos enquanto trabalhavam. O estudo, batizado de “Protestos no Brasil 2013”, relata as principais violações à liberdade e […]

Arquivo Publicado em 02/06/2014, às 15h08

None

Estudo da ONG artigo 19, publicado nesta segunda-feira, revela que 2.493 pessoas foram presas e oito morreram nas 696 manifestações realizadas em 2013. A entidade destaca ainda que 117 jornalistas foram feridos ou agredidos e 10 foram detidos enquanto trabalhavam.

O estudo, batizado de “Protestos no Brasil 2013”, relata as principais violações à liberdade e abusos cometidos por agentes do estado. Segundo o relatório, a falta de identificação dos policiais e detenções arbitrárias marcaram os protestos do ano passado. Também foi condenado o uso de armas letais e abuso das armas menos letais e a presença de “policiais infiltrados nas manifestações que, por vezes, causavam e incentivavam tumulto e violência”.

Segundo o artigo 19,2.493 pessoas foram detidas em 32 protestos. Os meses de maior concentração de detenções foram junho e outubro. “Em São Paulo, capital, durante os atos contra o aumento da tarifa de ônibus, a polícia prendeu centenas de manifestantes por estarem portando vinagre. O vinagre é utilizado pelos manifestantes para atenuar os efeitos causados pelo gás lacrimogêneo, que é atirado contra os manifestantes pela polícia e, além disso, não há nenhuma ilegalidade em portá-lo”, diz o estudo.

A ONG ainda denunciou sequestros e ameaças contra os manifestantes. Segundo o levantamento, houve 11 casos e sequestros e ameaças no ano passado. “O sociólogo e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro(UFRJ), Paulo Baia, foi sequestrado no Rio de Janeiro por homens encapuzados que o ameaçaram dizendo para não dar mais entrevistas e nem falar mal da polícia. Paulo Baia acredita que o ato pode ter relação com as críticas à ação da polícia militar nos protestos que ele havia feito para o jornal O Globo. O sociólogo, porém, afirmou não saber se os sequestradores eram policiais ou não”.

Mortes

O relatório listou as mortes que, segundo a ONG, ocorreram durante os protestos do ano passado. Ao todo, foram listados oito casos, registrados em Belém –PA (1 morte), Ribeirão Preto –SP (1), Cristalina-GO (2), Teresina-PI (1), Belo Horizonte-MG (1), Guarujá-SP (1), Pelotas-RS (1).

Jornal Midiamax