Geral

Netanyahu acredita ter dado duro golpe no Hamas

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, assegurou neste domingo que seu país deu “um golpe muito duro no Hamas” e desejou que a calma que “foi restaurada dure por muito tempo”, informou um comunicado divulgado por seu escritório. Segundo a nota, as declarações foram feitas durante a usual reunião semanal do conselho de ministros do Executivo […]

Arquivo Publicado em 31/08/2014, às 16h00

None

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, assegurou neste domingo que seu país deu “um golpe muito duro no Hamas” e desejou que a calma que “foi restaurada dure por muito tempo”, informou um comunicado divulgado por seu escritório.


Segundo a nota, as declarações foram feitas durante a usual reunião semanal do conselho de ministros do Executivo israelense, que hoje centrou sua atenção na recente operação militar contra o Hamas em Gaza.


Em particular, Netanyahu deu atenção aos efeitos da operação nas comunidades do sul do país, que denunciaram em várias ocasiões durante o conflito a delicada situação em termos de segurança ao estar no alcance dos foguetes disparados desde a Faixa.


Ao início do encontro, Netanyahu agradeceu os representantes destas comunidades, dizendo que sua “paciência” ofereceu a força necessária para liderar uma operação com a qual buscava “restabelecer a segurança dos cidadãos de Israel. Esta foi e permanece sendo nossa principal preocupação”.


“Batemos muito duro no Hamas”, destacou o premier, enumerando os ataques sobre membros do movimento islamita, os túneis procedentes de Gaza e os centros de comando, entre outros, e assegurando que “o Hamas retirou todas suas exigências para um cessar-fogo”, assinado entre as partes na terça-feira.


Desde então, tanto o Hamas como Israel embarcaram em uma batalha para elevar sua saída do conflito, apresentada por ambos como uma vitória política e militar embora segundo uma recente pesquisa apenas 25% dos israelenses acham que esse suposto triunfo foi para seu país.


Netanyahu desejou durante a reunião com sua equipe de governo “que a calma que foi restaurada dure por muito tempo”, mas advertiu “estar preparado para qualquer cenário neste e outros setores”, entre os quais destacou as ocupadas Colinas de Golã, território ao qual está se deslocando parte do conflito na Síria.


O líder anunciou também a criação de um plano de três períodos para ser implementado por Israel para ajudar os locais adjacentes à Faixa de Gaza, onde semanas atrás habitantes chegaram a se manifestar para pedir ao governo garantias de segurança.


O programa consiste em uma primeira injeção econômica nas povoações contíguas com o perímetro de Gaza para reabilitar a agricultura, reparar os danos causados pelo lançamento de foguetes e promover o desenvolvimento agrícola, industrial e econômico, assim como aumentar as medidas de segurança nas zonas.


Em um segundo passo, Netanyahu antecipou que serão tomadas medidas similares em todo o sul do país.

Jornal Midiamax