Nelsinho Trad pretende não ficar sem o apoio do grupo político REDE à sua pré-candidatura ao governo do Estado pelo PMDB. “É uma perda circunstancial, porque não vou me conformar em deixar como ponto final, vou pôr uma vírgula”, disse ele, durante encontro do PSB na manhã desta quinta-feira (29).

Mais cedo, a advogada Tatiana Ujacow, que é filiada ao PSB e representa o REDE em Mato Grosso do Sul, rejeitou publicamente a ideia da coligação com o PMDB. “Defendemos as mesmas causas, o desenvolvimento com sustentabilidade, se vamos apoiar as causas deles, porque não nos apoiar e, a partir disso, ter uma convivência harmônica”, salienta Nelsinho.

O pré-candidato, que foi ao encontro do PSB para oficialização de aliança local nestas eleições, diz que vai “tentar uma reaproximação” com o REDE. O grupo é um conglomerado político que, criado após manifestações públicas ocorridas em junho passado, tentou viabilizar-se como partido político mas, por conta de restrições de prazos legais, fixou-se no PSB, capitaneado por Marina Silva.