Mulher é sequestrada e mantida em cárcere privado ao retornar de faculdade em Dourados

Uma mulher de 32 anos, que teve o nome preservado, foi vítima de sequestro e de cárcere privado entre a noite de terça-feira (19) e madrugada desta quarta-feira (20). O fato aconteceu quando ela voltava de uma universidade que fica na Avenida Guaicurus, em Dourados, a 224 quilômetros ao sul de Campo Grande. A mulher disse […]
| 20/08/2014
- 14:51
Mulher é sequestrada e mantida em cárcere privado ao retornar de faculdade em Dourados

Uma mulher de 32 anos, que teve o nome preservado, foi vítima de sequestro e de cárcere privado entre a noite de terça-feira (19) e madrugada desta quarta-feira (20). O fato aconteceu quando ela voltava de uma universidade que fica na Avenida Guaicurus, em Dourados, a 224 quilômetros ao sul de Campo Grande.

A mulher disse que transitava pela via por volta das 21 horas, quando ouviu um barulho de uma pedrada e parou para ver se havia acertado o veículo. Ao descer do carro, ela percebeu que um automóvel de cor escura se aproximou, dois homens encapuzados desceram e a renderam.

Um deles forçou a vítima a entrar no próprio carro, enquanto o outro a seguia. Ele mandou que a vítima dirigisse pela BR-463, com destino a Ponta Porã, ao se aproximar da ponte do Rio Dourado, o autor, que estava armado, mandou que ela retornasse pela MS-379, com destino a Laguna Carapã.

A mulher revelou que quando se aproximou da Usina São Fernando, aproveitou a distração dele e pulou do veículo. Em seguida, correu para o meio da mata que fica nas margens da rodovia. Lá, ela esperou por um tempo e ligou para o namorado pedindo ajuda, pois ainda estava com o celular no bolso da calça.

Mais tarde, ela correu para o meio da rodovia e pediu por socorro. Um funcionário da usina que passava pelo local ajudou a vítima e ligou para a polícia. A Polícia Civil esteve no local e encontrou o veículo dela, que foi abandonado pelos criminosos.

Segundo ela, o ex-marido pode estar envolvido, ele não aceita a separação. Ela tem medida protetiva contra ele, e que tem desrespeitado. No fim de semana passado, o ex-companheiro chegou a interrogar o filho em comum sobre o carro que ela tinha e se aproximou a 80 metros do imóvel.

O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) de Dourados e será investigado pela Polícia Civil da região.

Últimas notícias