Um motociclista de 18 anos ficou em estado grave após uma colisão no fim da tarde desta quarta-feira (16), na Rua Marques de Lavradio, no Bairro São Lourenço em Campo Grande.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, Fabiano de Souza Rozena foi socorrido e encaminhado para a Santa Casa de Campo Grande. No momento dos primeiros atendimentos, o motociclista apresentava trauma raquimedular e não sentia a parte inferior do corpo.

O jovem pilotava uma motocicleta Honda Titan 150, placas HSK-9376 e se envolveu em uma colisão com um veículo Polo, placas HSX-0327, conduzido por uma mulher. Segundo testemunhas, a mulher seguia pela Rua Marques de Lavradio, no sentido bairro-centro e foi realizar uma conversão para a Rua Professor Xandinho.

O motociclista seguia na mesma rua e estaria à esquerda do carro no momento do acidente. Ele foi jogado há a alguns metros do carro, bateu a cabeça no meio-fio e o capacete chegou a rachar com o impacto.

A condutora do carro de passeio não quis falar com a reportagem do Midiamax.

Os moradores da região afirmaram que os acidentes na região são frequentes, pois o trânsito é segundo eles, ‘impossível’. Em alguns cruzamentos da rua não há sinalização e no cruzamento em que aconteceu o acidente, não há faixa dividindo a rua.

Segundo o pastor de uma igreja da região, que não quis se identificar, a Rua Marques de Lavradio é mão dupla, mas é muito estreita e não tem sinalização adequada. “Não dá para continuar assim. Precisa de uma organização de trânsito adequada”, comentou.

Para o representante comercial Luciano Marques, de 50 anos, um dos problemas da rua é uma placa de um posto de combustíveis. “Essa placa impede a visibilidade de quem está na rua”, afirma.

Outra moradora do local que reafirma os problemas do trânsito no local é Magda Simone de Souza, de 47 anos. Ela mora em um codomínio na rua e afirma que tem problemas com o trânsito quando vai levar a filha na escola. “Tem que sair mais cedo. Tem horário que é impossível sair do condomínio. Precisa de uma intervenção da prefeitura e da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito)”, diz.