Geral

Lúcio nega, mas Gil o acusa de chamar Corinthians de “time de m…”

O Derby divulgado pelos dois clubes como “clássico da paz” teve ríspida discussão em campo no segundo tempo, quando já estava 1 a 1. Gil partiu para cima de Lúcio e teve que ser contido pelos colegas. Segundo o zagueiro, o veterano chamou o Corinthians de “time de m…”. O jogador do Palmeiras nega. “Falei […]

Arquivo Publicado em 16/02/2014, às 21h15

None

O Derby divulgado pelos dois clubes como “clássico da paz” teve ríspida discussão em campo no segundo tempo, quando já estava 1 a 1. Gil partiu para cima de Lúcio e teve que ser contido pelos colegas. Segundo o zagueiro, o veterano chamou o Corinthians de “time de m…”. O jogador do Palmeiras nega.

“Falei que foi uma falta de m… Nem falei com o time dele”, avisou Lúcio. Antes da discussão com o corintiano, o camisa 33 do Verdão cometeu falta e foi para a área trocar xingamentos com Gil, que se demonstrou bastante irritado.

Gil não se conformou ao saber da versão do adversário. “Agora ele vai mudar. Eu não seria doido de bater boca se ele falasse ‘falta de m…’. Faltou respeito da parte dele. Eu estava muito bem no lance e bati boca pelo que ele falou”, contou o jogador do Timão.

Em campo, a paz não ficou clara nos sete cartões amarelos distribuídos, sendo três para o Corinthians e quatro para o Palmeiras, mas não houve discussão ríspida entre os jogadores além do desentendimento entre Lúcio.

Em comum nas duas equipes, a reclamação com a arbitragem, como Gilson Kleina ao apontar cotovelada de Romarinho em Marcelo Oliveira, que saiu com a cabeça sangrando depois da jogada, com choque aparentemente sem intenção. Já Mano Menezes se irritou ao ver Fernando Prass ficar caído reclamando de dores após carrinho de Jadson.

O Derby que teve a campanha “Adversário não é inimigo, rivais só em campo” teve mando do Corinthians e contou com 22.222 pagantes nesta tarde no Pacaembu. Foi o primeiro encontro dos dois tradicionais rivais na temporada.

Jornal Midiamax