Geral

Índios preparam ‘retomada em massa’ em região de conflito e fazendeiros ameaçam resistir

Terenas da região da Aldeia Buriti prometem ‘retomada em massa’ de áreas ocupadas por fazendas para o próximo sábado (7), caso não haja novidades por parte do governo federal sobre o conflito agrário na região até sexta-feira (6). Fazendeiros temem novo conflito e falam que estão ‘armados até os dentes’. Os terenas entendem que, conforme definido […]

Arquivo Publicado em 05/06/2014, às 14h51

None

Terenas da região da Aldeia Buriti prometem ‘retomada em massa’ de áreas ocupadas por fazendas para o próximo sábado (7), caso não haja novidades por parte do governo federal sobre o conflito agrário na região até sexta-feira (6). Fazendeiros temem novo conflito e falam que estão ‘armados até os dentes’.

Os terenas entendem que, conforme definido em acordo anterior, o prazo estipulado para uma resposta oficial da União termina nesta sexta-feira. O governo precisa definir o quanto pagará pelas terras aos fazendeiros para, em seguida, entregá-las aos índios.

Como até agora não houve resposta, lideranças indígenas já articulam uma movimentação em massa, que envolveria a ocupação de cinco fazendas, como parte do que eles chamam de ‘retomada da Aldeia Buriti’. Há risco de conflito, já que fazendeiros da região, sabendo da insatisfação dos índios, garantem estar de prontidão, inclusive com pessoal armado, para evitar a ofensiva terena.

“Estamos querendo evitar o conflito”, ameniza um fazendeiro, que prefere não ser identificado, completando: “se os índios avançarem, vamos sair da mesa de negociação e não aceitar mais nenhuma proposta”. Ele lembra que o fim das retomadas, consideradas invasões pelos donos das fazendas, também faz parte de acordo entre as partes.

A área da Aldeia Buriti, onde vivem cerca de cinco mil indígenas de 12 aldeias, está localizada entre os municípios de Sidrolândia e Dois Irmãos do Buriti. O conflito pelas terras é intenso – e tenso – há pelo menos 15 anos. Em maio do ano passado, o indígena Oziel Gabriel, 36 anos, foi morto em um dos confrontos com os fazendeiros que envolveu homens da Polícia Federal.

Jornal Midiamax