Festival vai ensinar como contar história de forma criativa e divertida

Envolver as crianças no mundo da literatura é preciso muito mais que livros, é preciso imaginação. Contar história não simplesmente lê-las, mas interpretá-las de forma divertida e criativa. O mundo da literatura precisa ser grande, imaginativo. É exatamente isso, que o “1º Festival Estadual de Contadores de Histórias de MS’, que vai acontecer entre os […]
| 22/08/2014
- 01:20
Festival vai ensinar como contar história de forma criativa e divertida

Envolver as crianças no mundo da literatura é preciso muito mais que livros, é preciso imaginação. Contar história não simplesmente lê-las, mas interpretá-las de forma divertida e criativa. O mundo da literatura precisa ser grande, imaginativo.

É exatamente isso, que o “1º Festival Estadual de Contadores de Histórias de MS’, que vai acontecer entre os dias 28 a 30 de agosto, em Campo Grande, se propõe. O evento contará com oficinas de contadores de histórias regionais e de outros estados e com apresentações paralelas para a população e estudantes.

No período, o Centro Cultural José Octávio Guizzo e várias escolas de Campo Grande vão receber a iniciativa do Instituto Sócio Cultural Curumins, com investimento do Fundo de Investimentos Culturais – FIC, da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

Segundo Marta Cel, uma das organizadoras, o Festival nasceu com o objetivo de estimular e aperfeiçoar práticas de contação, resgatando esta arte como ferramenta importante na formação do gosto pela leitura e fortalecimento dos vínculos de pertencimento da plateia à sociedade sul-mato-grossense.

A arte de contar histórias é um dos atos mais antigos do mundo. Já foi posse exclusiva de preservadores da história oral e de aventureiros viajantes, que transmitiam acontecimentos ocorridos em povos distantes a sua plateia.

“Contar histórias é uma arte que resgata e valoriza o folclore e a cultura de um povo e estimula a leitura e o sentimento de pertencimento ao MS, quando reconhecemos nossos patrimônios culturais nas histórias que ouvimos. Neste sentido, a contação não se restringe apenas às crianças, adultos também podem aproveitar este passeio lúdico na oralidade”, realça Marta.

Oficinas

As oficinas são voltadas tanto para educadores, artistas, musicistas, professores e outros profissionais que lidam com o universo artístico e educacional, quanto para pessoas sem experiência na área, que querem aprender mais sobre o universo da contação de histórias. Ministradas por profissionais sul-mato-grossenses e de outros estados, como Goiás, Minas Gerais e São Paulo, as oficinas acontecem nos dias 28 e 29 de agosto, das 13h30 às 17 horas, no Centro Cultural José Octávio Guizzo.

No total, serão realizadas cinco oficinas: “A Musicalidade na Palavra do Narrador de Histórias”, com Beatriz Myrrha (MG); “O Corpo Cênico do Contador de Histórias”, com Ciro Ferreira (MS); “Projetos Interdisciplinares de Leitura a partir da Contação de Histórias”, com Shirlene Alvares (GO);“A Arte de Ouvir e Contar Histórias”, com Tânia Antunes (SP) e “Ciranda de Contos e Cantigas”, com Conceição Leite (MS). Para participar não é necessária formação específica. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo e-mail: [email protected]

Contações e apresentações no Centro Cultural José Octávio Guizzo

Paralelas às oficinas de aprendizagem e troca de experiências, acontecerão diversas apresentações, abertas ao público no Centro Cultural.Na manhã do dia 28 (quinta-feira), às 8 horas, as atividades do Festival começam com a chegada daBANJHUR -Banda de Percussão E.E José Maria Hugo Rodriguessob a regência de WenderssonTognon de Oliveira;depois, às 9 horas, músicas, contações e apresentações de caravanas de diversas localidades do MS. Também no dia 28 acontece a solenidade de abertura do Festival, às 19 horas, com a participação da banda “Os Morenos”, homenageando o poeta da terra Emmanuel Marinho.

No dia 29 (sexta-feira) a programação começa com “Roda de Conto”, às 8h30. Mais tarde, às 19 horas, acontece o “1º Fórum Estadual de Contadores de Histórias”.

Já no dia 30 (sábado), às 8 horas, acontece o “Piquenique de Conto, momento de blablação”, também no Centro Cultural, com mais contação, música, troca de experiências. Depois, às 11 horas, o Festival será encerrado com a entrega dos certificados dos participantes das oficinas.

Contações em escolas e instituições

O Festival também contará com apresentações em escolas e instituições. No dia 28, às 8 horas, haverácontação nas escolas estaduais Armando de Oliveira e Carlos Henrique Schrader, que também recebe contação às 14h do mesmo dia. No dia 29, às 8 horas, tem apresentação na escola estadual Padre Franco Delpiano; às 9 horas na escola Sesi e, às 14 horas, nas escolas Carlos Henrique Schrader, OMEP/IEMS e na ONG Recanto da Criança.

Serviço

O “1º Festival Estadual de Contadores de Histórias de MS’, acontece de 28 a 30 de agosto, no Centro Cultural José Octávio Guizzo (na rua 26 de agosto, 453, Centro) e, em escolas estaduais (conforme programação). Informações e inscrições pelos telefones 67 9240-9999 e 9606-9839 e pelo email [email protected]

Últimas notícias