Geral

Fãs de Michael Jackson se divertem no bloco que homenageia o cantor

Os fãs de Michael Jackson tiveram hoje (2) a chance de saber como tudo seria se o cantor tivesse aderido ao samba em vez do pop. Em uma homenagem ao artista, morto em 2009, o bloco Thriller Elétrico animou milhares de folioes na Vila Isabel, zona norte do Rio e imprimiu aos clássico do rei […]

Arquivo Publicado em 02/03/2014, às 15h26

None

Os fãs de Michael Jackson tiveram hoje (2) a chance de saber como tudo seria se o cantor tivesse aderido ao samba em vez do pop. Em uma homenagem ao artista, morto em 2009, o bloco Thriller Elétrico animou milhares de folioes na Vila Isabel, zona norte do Rio e imprimiu aos clássico do rei do pop a típica batida carnavalesca.


Morador das redondezas, o assistente financeiro Flavio Moreira, de 28 anos, é fã de Michael Jackson. Ele não perdeu a chance de vestir uma peruca e dançar as careografias que marcaram sua infância. “Gosto do Michael desde criança, não sei exatamente como, meus pais já gostavam e tínhamos em vídeo quase todos os álbuns. Eu sabia as coreografias, dançava, sabia tudo. Sempre acompanhei”, contou.


Para o geólogo Luiz Wallace Costa, de 29, o bloco é para quem não quer “mais do mesmo”, quem ama carnaval, mas gosta também de “uma pegada de rock”.


“A qualidade de som é muito boa, sempre procuro esses blocos alternativos, criativos… Está muito legal”, comentou. Ele também destacou o clima na praça. “Não está entupido, está até arejado. N ão é como os outros blocos”.


O produtor do bloco Caio Branco, disse que a expectativa é reunir três mil pessoas na Praça Barão de Drummond. No repertório, além de clássicos como Thriller e Black or White, o bloco trás músicas de outras fases do cantor, como quando integrava o Jackson Five. “Basicamente, todas as músicas são voltadas para homenagear o Michael”, disse. “Começou como uma oficina, por um fã, um estudioso e o diretor musical, foi daí que o bloco começou”, completou Caio.


Esse é o terceiro ano do bloco na cidade e a primeira vez que sai na Vila Isabel. “Reconhecemos que vir para zona norta faz parte do esforço de democratizar o carnaval carioca”, reforçou o produtor.

Jornal Midiamax