Geral

Família de mulher que enterrou bebê no quintal de casa em MS é indiciada por ajudar no crime

A família da mulher que deixou o filho recém-nascido morrer e enterrou no quintal de casa foi indiciada por ajudar no crime. O caso aconteceu no começo deste mês, em Bela Vista a 342 km de Campo Grande. De acordo com a delegada Kellen Laura Baltha, ficou comprovado que após a criança morrer, ela mandou […]

Arquivo Publicado em 29/01/2014, às 20h06

None

A família da mulher que deixou o filho recém-nascido morrer e enterrou no quintal de casa foi indiciada por ajudar no crime. O caso aconteceu no começo deste mês, em Bela Vista a 342 km de Campo Grande. De acordo com a delegada Kellen Laura Baltha, ficou comprovado que após a criança morrer, ela mandou o filho adolescente enterrar o corpo no quintal da casa. Além dos dois, o irmão e a mãe da mulher souberam do caso e foram coniventes com o crime. 


De acordo com a Polícia Civil, o adolescente responderá pelo ato infracional e a mãe pelo crime de homicídio qualificado por meio insidioso ou cruel, ocultação de cadáver e corrupção de menores. Já o irmão e a mãe responderão por ocultação de cadáver e corrupção de menores. O inquérito policial foi relatado e enviado ao Ministério Público. O caso irá a Júri Popular e as penas podem chegar aos 30 anos para o homicídio qualificado, até três anos para a ocultação de cadáver e corrupção de menores até quatro anos.


Crime – Segundo nota divulgada pela Polícia Civil, o exame necroscópico constatou que a criança nasceu de parto normal, com a gestação completa, respirou e morreu em seguida por hemorragia por meio do cordão umbilical, que não foi estancada.


Foram realizadas buscas no quintal da casa da mulher, onde foi encontrando o corpo da criança, já em estado inicial de decomposição. O bebê estava enrolado em uma toalha, dentro de uma caixa de papelão em um buraco no chão no fundo do quintal, com um pedaço grande de concreto cobrindo o buraco.

No começo das investigações, os familiares da mulher prestaram declarações alegando que não tinham certeza sobre a gravidez e de não tinham conhecimento do corpo enterrado no quintal. Testemunhas informaram que irmão da autora, teria encontrado o corpo do bebê dentro do baú da motoneta de origem estrangeira de propriedade dela e enterrado o corpo.


Intimados novamente para prestar depoimento, o filho, o irmão e a mãe da mulher relataram uma nova versão, na qual o menor teria encontrado o corpo e informado ao seu tio, posteriormente teria enterrado o bebê no quintal a mando de sua mãe. Quando sua avó voltou do Hospital, o menor lhe contou o que teria feito e ela reagiu normalmente.


Ainda conforme a nota, inicialmente a mulher colaborava com a investigação, não possuía maus antecedentes e possuía emprego fixo. Porém, testemunhas disseram à polícia que a mulher pretendia fugir para o Paraguai. Ela teve a prisão preventiva decretada e foi presa.

Jornal Midiamax