Geral

‘Expectativa não me deixa dormir’, diz Jefferson sobre prisão

Aparentando cansaço e vestindo uma camiseta da Harley Davidson, o ex-deputado federal Roberto Jefferson apareceu na varanda da sua casa em Comendador Levy Gasparian, no interior do Rio de Janeiro, e conversou rapidamente com a imprensa na manhã desta segunda-feira, enquanto aguarda que a Polícia Federal receba seu mandado de prisão, expedido na sexta-feira pelo […]

Arquivo Publicado em 24/02/2014, às 13h06

None

Aparentando cansaço e vestindo uma camiseta da Harley Davidson, o ex-deputado federal Roberto Jefferson apareceu na varanda da sua casa em Comendador Levy Gasparian, no interior do Rio de Janeiro, e conversou rapidamente com a imprensa na manhã desta segunda-feira, enquanto aguarda que a Polícia Federal receba seu mandado de prisão, expedido na sexta-feira pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. “É o destino. Tenho que cumprir a minha pena, estou sereno, mas a expectativa não me deixa dormir. Se eu disser para você que sou o Superman é mentira. Deito e não consigo dormir, estou angustiado”, afirmou.


Jefferson foi condenado a cumprir pena em regime semiaberto por envolvimento no esquema do mensalão. Ele recebeu pena de sete anos e 14 dias de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O ex-deputado afirmou que está sempre em contato com seus advogados para saber quando a Polícia Federal receber o mandado de prisão. “Não tem problema nenhum eu ir no carro da Polícia Federal”, disse. Viaturas e agentes da PF aguardam o recebimento do mandado em frente à residência.


Jefferson brincou ainda sobre a vitória por 3 a 0 do Botafogo em cima do Fluminense no domingo. “O que aconteceu com a turma da imprensa? Foi eu botar a bandeira do Botafogo e todo mundo meteu o pé”, brincou o ex-deputado sobre a vitória, afirmando que depois do jogo não havia mais jornalistas em frente à sua casa.


O ex-deputado federal Roberto Jefferson deu um passeio de moto no domingo. O passeio do ex-deputado em sua Harley Davidson durou cerca de três horas. Ao voltar para casa, de capacete, jaqueta de couro e calça jeans, Jefferson disse a jornalistas que estava “desfrutando os momentos finais” da sua liberdade. Ao chegar do passeio, ele foi recebido por um comerciante que doou R$ 100 em dinheiro para ajudar a quitar a multa de R$ 720 mil determinada pelo STF.

Jornal Midiamax