Geral

Exército desloca até carro antibombas para acompanhar ônibus da seleção

O exército começou a cercar a Granja Comary neste domingo para acompanhar a saída da seleção brasileira de Teresópolis. O time de Luiz Felipe Scolari vai para Goiânia nesta tarde. Na terça-feira, enfrenta o Panamá no estádio Serra Dourada, no primeiro amistoso de preparação para a Copa do Mundo. Vários carros com militares já estão […]

Arquivo Publicado em 01/06/2014, às 19h54

None

O exército começou a cercar a Granja Comary neste domingo para acompanhar a saída da seleção brasileira de Teresópolis. O time de Luiz Felipe Scolari vai para Goiânia nesta tarde. Na terça-feira, enfrenta o Panamá no estádio Serra Dourada, no primeiro amistoso de preparação para a Copa do Mundo.

Vários carros com militares já estão nos arredores da concentração brasileira. Além disso, Três viaturas da polícia federal e até um carro antibombas já estão no local, para fazer a segurança dos jogadores até o aeroporto do Galeão.

Na estrada que liga ao Rio de Janeiro, um contingente grande de viaturas da Tropa de Choque também está indo para Teresópolis. Além disso, todos os viadutos do trajeto até a capital fluminense contam com proteção policial.

A operação só comprova a preocupação do exército brasileiro com a segurança da equipe. Desde o início da semana, 30 militares estão aquartelados perto da Granja Comary para entrar em ação caso a seleção tenha sua segurança ameaçada. O pelotão pertence ao 32º Batalhão de Infantaria de Petrópolis e está pronto para atuar em situações como protestos violentos contra a Copa, caso o Governo do Estado solicitar e a presidente Dilma Rousseff autorizem.

A delegação da seleção já foi alvo de manifestantes ao sair do Rio de Janeiro e ao chegar na concentração, na última segunda-feira. O ônibus que trazia a equipe nacional teve adesivos colados por professores em greve.

O pelotão faz parte da força de contingência do Centro de Coordenação de Defesa de Área, vinculado ao Ministério da Defesa e responsável por ações relativas ao Mundial. Os militares também estão escalados para compor a escolta da seleção em seus deslocamentos.

Jornal Midiamax