Geral

Erro de árbitro resulta em surra exagerada e gera revolta no Bellator

A edição desta sexta-feira do Bellator – a de número 113 do evento – ficou marcada por um erro de arbitragem que revoltou não só fãs de MMA como o próprio presidente da organização. Em uma das lutas, a demora para se decretar um nocaute técnico foi visível e o longo castigo imposto ao derrotado, […]

Arquivo Publicado em 22/03/2014, às 19h35

None

A edição desta sexta-feira do Bellator – a de número 113 do evento – ficou marcada por um erro de arbitragem que revoltou não só fãs de MMA como o próprio presidente da organização. Em uma das lutas, a demora para se decretar um nocaute técnico foi visível e o longo castigo imposto ao derrotado, sem necessidade, gerou as críticas.


O combate aconteceu na categoria pesado e teve Daniel Gallemore encarando Fredrick Brown. Devido à lesão de um lutador escalado originalmente, Brown foi colocado no card de última hora e mostrou que não tinha condições de encarar Gallermore. Mais do que isso, apanhou mais do que devia.


Gallermore começou o nocaute com uma cotovelada e uma série de socos. Brown foi parar no chão, já com poucas chances de defesa e, mesmo sem reação, o árbitro Chuck Wolfe ficou apenas observando. Foi só após mais uma série de cotoveladas e socos, já com Brown no chão e acenando para a interrupção da luta que foi decretado o nocaute técnico.


O presidente do Bellator, Bjorn Rebney, usou o Twitter para criticar a demora em se encerrar o combate, já que o lutador não tinha mais chances de defesa. “(Foi) imperdoável. Isso foi horrível”, afirmou ele.


Além deste resultado, o Bellator 113 teve um brasileiro vencendo e avançando no GP dos leves com um belo nocaute. Foi Patricky Freire, que nocauteou David Rickels e avançou à semifinal do torneio.

Jornal Midiamax