Geral

Diretor sul-mato-grossense seleciona atores para longa-metragem

O diretor sul-mato-grossense Dannon Lacerda vai fazer uma seleção de atores campo-grandenses para o seu primeiro longa-metragem, Despalavras. Os interessados deverão enviar uma foto e currículo para o email cabarefilmes@gmail.com até 18 de maio deste ano. Após a pré-seleção será realizado um laboratório em Campo Grande para fechar o casting de atores para o filme. […]

Arquivo Publicado em 28/04/2014, às 21h38

None

O diretor sul-mato-grossense Dannon Lacerda vai fazer uma seleção de atores campo-grandenses para o seu primeiro longa-metragem, Despalavras. Os interessados deverão enviar uma foto e currículo para o email [email protected] até 18 de maio deste ano. Após a pré-seleção será realizado um laboratório em Campo Grande para fechar o casting de atores para o filme.

O roteiro do longa-metragem, que ainda está em fase de desenvolvimento, aborda os conflitos em uma fazenda em que índios reivindicam a posse da terra. “Depois de realizar seis curtas-metragens no Rio de Janeiro, decidi que já tinha maturidade para encarar o meu primeiro longa-metragem. Por isso estou selecionando atores para futuros trabalhos de laboratórios e pesquisas de cena, que serão as bases para os novos tratamentos do roteiro”, comenta o diretor,

“Também estou buscando patrocínios e apoios para realização do projeto em Mato Grosso do Sul, afinal é onde nasci”, emenda, lembrando que está mantendo contatos com a Associação de Cinema e Vídeo de Mato Grosso do Sul a fim de realizar uma parceria em prol da realização do filme no Estado.

Atualmente, Dannon Lacerda se dedica a carreira do seu último curta-metragem, Cine Centímetro, selecionado em festivais importantes como o Festival do Rio, Mostra de Tiradentes e Festival Internacional de Cinema de Guadalajara, além de ter sido premiado como melhor filme, direção, fotografia, edição e ator (Malvino Salvador) na Mostra de Porto Alegre.

O filme

Despalavras é inspirado em O Círculo de Giz Caucasiano, peça escrita ao final da Segunda Guerra Mundial, durante o exílio americano de Bertolt Brecht (1898-1956). O dramaturgo alemão questionava-se sobre o direito à propriedade ao escrever este drama em que duas fazendas coletivas, na Rússia, disputam a posse de um vale fértil. Para resolver a questão elas recorrem a um bardo local, que lhes conta a história do círculo de giz na Geórgia.

Jornal Midiamax