Geral

Delcídio rebate Renan Calheiros: ‘está vendo o barco afundando e quer pular’

O senador Delcídio Amaral (PT) comparou o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB) ao capitão Francesco Schettino, do navio de cruzeiro Costa Concordia. “Ele está vendo que o barco está afundando e quer pular, como bom comandante Schettino e pragmático que é. A filosofia dele é essa, rei morto, rei posto. Viva o rei”, disse […]

Arquivo Publicado em 21/03/2014, às 14h56

None
813806772.jpg

O senador Delcídio Amaral (PT) comparou o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB) ao capitão Francesco Schettino, do navio de cruzeiro Costa Concordia. “Ele está vendo que o barco está afundando e quer pular, como bom comandante Schettino e pragmático que é. A filosofia dele é essa, rei morto, rei posto. Viva o rei”, disse o petista à rádio CBN.

Delcídio e Calheiros estão trocando farpas desde quinta-feira (20), por conta da indicação do ex-diretor internacional da Petrobrás Nestor Ceveró.

Depois de atribuir ao PMDB a indicação de Cerveró, Delcídio foi ironizado por Calheiros, que responsabilizou o petista pela escolha. “O Delcídio tem que ficar despreocupado porque certamente o Delcídio não indicou o Ceveró para roubar a Petrobras. Ele deve ficar tranquilo, o Delcídio”, ironizou.

Ceveró fez um relatório que endossou a compra da refinaria de Pasadena (EUA) pela Petrobrás, maior empresa brasileira, da qual Delcídio também foi diretor. A compra foi efetivada em 2006 pelo valor total de US$ 360 milhões e a refinaria deu prejuízo desde então.

A compra da refinaria, é investigada pelo Tribunal de Contas da União, Ministério Público do Rio e pela Polícia Federal.

A principal polêmica é o preço do negócio: o valor que a Petrobras pagou em 2006 à Astra Oil para a compra de 50% da refinaria é oito vezes maior do que a empresa belga havia pago, no ano anterior, pela unidade inteira.

O presidente do Senado se recusou a responder se teria indicado o ex-diretor da estatal e disse que Delcídio deveria pedir a saída de Ceveró de seu cargo atual, que é diretor financeiro da BR Distribuidora.

Comparação

O Naufrágio do Costa Concordia foi um acidente ocorrido com o navio de cruzeiro Costa Concordia em janeiro de 2012. A embarcação abalroou rochas sub-aquáticas, devido ao seu calado, e causou 32 mortes.

O capitão Francesco Schettino foi um dos primeiros a abandonar seu navio e se recusou a retornar a ele para organizar a retirada dos passageiros e tripulantes. Ele foi suspenso pela Costa Crociere e ficou em prisão domiciliar até julho de 2012.

Jornal Midiamax