De luto e com homenagens, Sport empata com Atlético-PR

De luto por causa do acidente que matou o ex-governador e candidato à presidência Eduardo Campos, além de assessores dele, o Sport empatou neste domingo, na Ilha do Retiro, com o Atlético-PR, por 1 a 1, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. O aniversariante Cleberson colocou os visitantes em vantagem, mas o estreante Régis empatou […]
| 18/08/2014
- 05:58
De luto e com homenagens, Sport empata com Atlético-PR

De luto por causa do acidente que matou o ex-governador e candidato à presidência Eduardo Campos, além de assessores dele, o Sport empatou neste domingo, na Ilha do Retiro, com o Atlético-PR, por 1 a 1, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. O aniversariante Cleberson colocou os visitantes em vantagem, mas o estreante Régis empatou para o time da casa.

Com o resultado, o Sport chegou aos 22 pontos e está em nono. Já o time atleticano tem um ponto a mais – 23 – e terminou a rodada em sétimo. O próximo compromisso dos anfitriões será contra o Palmeiras. Já os visitantes visitam o Santos. Ambos os jogos são na quarta, às 19h30.

A noite no Recife foi de homenagens e consternação. O Sport entrou em campo com uma faixa em homenagem a Eduardo Campos, a torcida aplaudiu o minuto de silêncio e o atacante Neto Baiano estampou na camisa o nome Percol, em referência a Carlos Percol, assessor do ex-governador e torcedor do clube, que também morreu no desastre aéreo.

Com a bola rolando, o gramado feio – o Sport fez um corte diferente para evitar danos ao campo – não impediu a articulação de jogadas das equipes. Os anfitriões tiveram a proposta clara de buscar o ataque, enquanto o rival rubro-negro optou por uma postura mais conservadora.

Só que foi o Atlético o primeiro a conseguir balançar a rede. E sem precisar mostrar um futebol envolvente. Pelo alto, depois de uma cobrança de falta de Bady, Cleberson testou e estufou a rede do time da casa: 0 a 1.

O gol não desanimou o Sport nem fez com que os atleticanos ficassem muito arrojados. O preço foi o empate, em gol do estreante Régis, depois da insistência de Wendel em cobrança de falta, que estava na hora e no lugar certos para ficar livre e chutar firme.

Na etapa final, foi mais uma sessão sufocante imposta pelo Sport ao Atlético-PR. Apesar do espaço para os contragolpes, o Furacão não acertou o pé e também não mexeu mais no placar. Ao fim, o empate foi mais um gosto amargo sentido pelos pernambucanos na semana de tragédia.

Últimas notícias