Crianças de 110 escolas da Capital recebem campanha contra hanseníase, verminoses e tracoma

Estudantes de 110 escolas municipais de Campo Grande vão participar da Campanha Nacional contra Hanseníase, Verminoses e Tracoma. A ação que começa na próxima segunda-feira (4) e vai até a sexta-feira (8), visa proteger crianças e adolescentes contra essas doenças e alertar pais e professores sobre os seus sintomas. A abertura da campanha será para […]
| 02/08/2014
- 01:48
Crianças de 110 escolas da Capital recebem campanha contra hanseníase, verminoses e tracoma

Estudantes de 110 escolas municipais de Campo Grande vão participar da Campanha Nacional contra Hanseníase, Verminoses e Tracoma. A ação que começa na próxima segunda-feira (4) e vai até a sexta-feira (8), visa proteger crianças e adolescentes contra essas doenças e alertar pais e professores sobre os seus sintomas. A abertura da campanha será para 820 alunos do turno matutino da Escola Municipal Vanderlei Rosa de Oliveira, no Bairro Novos Estados, às 7 horas de desta segunda.

A campanha será realizada pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde). Durante a ação, os alunos serão examinados e, se necessário, medicados contra os vermes e também contra o Tracoma, doença inflamatória dos olhos que quando não tratada pode levar à cegueira.

A gerente técnica do Programa Municipal de Controle da Tuberculose e Hanseníase, Vanessa Aquino Ferraz, explica que ainda durante a campanha, será entregue um formulário a ser preenchido por pais ou responsáveis a respeito de sinais e sintomas sugestivos de hanseníase, bem como, sobre o histórico familiar da doença. “Na presença de lesões sugestivas, o agente comunitário da unidade de
saúde próxima à residência do escolar entregará o encaminhamento com local, data e horário agendado para exame médico, onde poderá ser confirmado o diagnóstico de hanseníase, com início imediato do tratamento”, conta.

Hanseníase

No Brasil, a hanseníase ainda persiste como problema de saúde pública, sendo que o Mato Grosso do Sul é o 12º estado brasileiro com maior coeficiente de detecção de casos novos em todo País e o 20º no que se refere ao coeficiente de detecção de menores de 15 anos.

Verminoses

As crianças constituem um importante grupo de risco para as infecções por geohelmintos, uma vez que estão em fase de intenso crescimento físico e desenvolvimento cognitivo. O impacto negativo da infecção produz, além da redução no desenvolvimento físico e mental, uma diversidade de quadros mórbidos que incluem diarreia, dores abdominais, inapetência, perda de peso, até complicações como a formação de granulomas e processos obstrutivos que exigem intervenção cirúrgica, podendo inclusive levar ao óbito.

Com a ação de redução da carga de infecção por geohelmintos, o Ministério da Saúde propõe a implantação do tratamento quimioprofilático em crianças de cinco a 14 anos.

Tracoma

O tracoma é uma infecção ocular transmissível por contato de pessoa a pessoa, causada por uma bactéria, que afeta comumente crianças, principalmente em idade escolar. Pode manifestar-se através da inflamação da conjuntiva (conjuntivite), que pode ser leve e com o passar do tempo, quando não tratado, poderá comprometer a visão. A detecção desta doença se dá através do exame clínico ocular que é feito por técnicos capacitados pelo Ministério da Saúde e o tratamento é simples, feito com uma única dose de medicamento. Como ação estratégica para detecção de casos, será feito avaliação pelos profissionais de saúde, com detecção dos sintomas, para investigação de suspeitos e, aqueles que forem confirmados, receberão o medicamento adequado.

Veja também

Fenômeno foi constatado na galáxia Grande Nuvem de Magalhães

Últimas notícias