Geral

Confissão de assassinato no interior de MS pelo Facebook foi ‘curtida’ e compartilhada

A declaração no Facebook em que Roberto Dantas da Rocha confessa o assassinato da ex-namorada Jociely Pinheiro, de 22 anos, teve oito curtidas e quatro compartilhamentos na rede social em três horas de exibição. O caso aconteceu no bairro Jardim Angélica, no município de Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo Grande. Roberto invadiu o […]

Arquivo Publicado em 13/02/2014, às 14h11

None
1299765845.jpg

A declaração no Facebook em que Roberto Dantas da Rocha confessa o assassinato da ex-namorada Jociely Pinheiro, de 22 anos, teve oito curtidas e quatro compartilhamentos na rede social em três horas de exibição. O caso aconteceu no bairro Jardim Angélica, no município de Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo Grande.

Roberto invadiu o apartamento de Jociely e a esfaqueou no pescoço. Depois ele brigou com o atual namorado da garota e o esfaqueou no abdômen e no braço. Jociely morreu no local e o namorado foi levado em estado gravíssimo ao hospital.

Roberto deixou uma confissão no perfil de seu Facebook dizendo que lamentava por ter matado a jovem. Pela mensagem, o relacionamento entre Roberto e Jociely tinha acabado, mas o homem não aceitava a separação. Ele pede desculpas aos familiares e amigos da vítima.

” Me perdoa todos…o que eu fiz nao justifica….mas ela dizia q nao tinha ninguem…e eu cheguei ela estava com outro…me desculpa…eu larguei de minha familia por causa dessa guria…e desde de entap ela brinca comigo…me perdoa…parentes e amigos…nao qro q nin guem va me visitar…a partir de hj…qro ser esquecido ou sei la o q?”

Comentários

A maioria dos comentários da postagem reprova o crime de Roberto. Alguns afirmam que ele deveria pensar na família da vítima e dizendo que ele deveria procurar tratamento psicológico.  Um dos comentários pedia para que Roberto pensasse nas filhas dele e que tivesse deixado a ex-namorada reconstruir a vida dela.

Polícia procura

De acordo com o site Rádio Caçula Roberto trabalhava como vigia na Câmara Municipal de Naviraí. A polícia faz buscas por Três Lagoas, e a Polícia Civil de Naviraí também procura o autor.

A jovem naviraiense trabalhava na Câmara do município e veio para Três Lagoas para gerenciar uma loja de telefonia da tia, ela estava havia oito meses na cidade. Ela também era acadêmica de direito da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Jornal Midiamax