Geral

Com nome no SPC, servidores estaduais dizem que banco ‘esqueceu’ de acordos

Inúmeros servidores públicos do Governo do Estado garantem que tiveram os nomes negativados indevidamente no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito). É o caso de Valtair Carlos de Moura, 41 anos, funcionário da Fundação de Esportes (Fundesporte). Os servidores alegam que fizeram acordo com um banco e alegam que a instituição teria “esquecido” dos acertos. Valtair […]

Arquivo Publicado em 02/06/2014, às 21h34

None
1286101603.jpg

Inúmeros servidores públicos do Governo do Estado garantem que tiveram os nomes negativados indevidamente no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito). É o caso de Valtair Carlos de Moura, 41 anos, funcionário da Fundação de Esportes (Fundesporte). Os servidores alegam que fizeram acordo com um banco e alegam que a instituição teria “esquecido” dos acertos.

Valtair explica que diversos servidores estaduais têm cartão do banco, que concede linha de crédito pré-estabelecida em acordo feito entre as partes. O cartão tem limite de R$ 300 e o servidor escolhe se paga ou se desconta na folha salarial. Entretanto, o nome de Valtair foi parar no SPC. “Já foi descontado da folha, posso provar. Isso não existe, é um absurdo”, diz.

O servidor revela que o caso aconteceu com diversos colegas de trabalho. “Teve gente que ia financiar a casa e perdeu o financiamento porque o nome está, incorretamente, no SPC”. Valtair diz que os servidores sempre tiveram este cartão e é a primeira vez que causa problemas. Ele cogita entrar com ação contra o banco, por danos morais. 

A reportagem tentou contato com o banco, mas até o momento de publicação deste texto, não havia recebido posicionamento oficial.

Jornal Midiamax