Geral

Capivara é atropelada e morre em frente de obra da prefeitura; PMA critica falta de grade

O diretor de teatro Espedito Montebranco, 45, fotografou na manhã desta terça-feira (28) capivara que morreu atropelada em frente da obra no Rádio Clube Campo, na Rua Spipe Calarge, em Campo Grande. A Solurb, empresa responsável pela coleta de lixo em Campo Grande, que faz a coleta de animais mortos na cidade, foi informada e em breve […]

Arquivo Publicado em 28/01/2014, às 12h50

None
568315289.jpg

O diretor de teatro Espedito Montebranco, 45, fotografou na manhã desta terça-feira (28) capivara que morreu atropelada em frente da obra no Rádio Clube Campo, na Rua Spipe Calarge, em Campo Grande.

A Solurb, empresa responsável pela coleta de lixo em Campo Grande, que faz a coleta de animais mortos na cidade, foi informada e em breve deve retirar o animal do local.

Espedito diz acreditar que a capivara foi atropelada por volta das 5 horas e arrastada para a calçada. “Tem sangue na pista”, explica. O diretor de teatro analisou que se houvesse grade de proteção, o animal não teria saído para a rodovia. Para Espedito, a capivara veio do Córrego Cabaça, onde ficava o lago do Rádio Clube Campo.

A Polícia Militar Ambiental (PMA) declarou que tem sido constante os casos de atropelamento de animais, em virtude da falta de grade ou rede de proteção nas obras da cidade. Para a Solurb  a responsabilidade da obra é da Prefeitura de Campo Grande.

A prefeitura ressaltou que toma todas as medidas de segurança e que desconhece casos de aparecimento de animais em locais de obra.

Uma capivara atropelada a cada dois dias

De acordo com a Solurb, nos últimos meses, uma capivara é atropelada a cada dois dias, principalmente nas regiões mais próximas de reservas naturais.

Jornal Midiamax