Geral

Ataque contra ônibus de turistas mata 4 no Egito

Uma bomba lançada contra um ônibus que transportava turistas sul-coreanos próximos à fronteira do Egito com Israel neste domingo, matou três turistas e um motorista egípcio, segundo autoridades locais.Foi o primeiro ataque a turistas desde a saída do presidente islamita Mohamed Mursi em julho, que desencadeou confrontos e uma onda de ataques pelo país. A […]

Arquivo Publicado em 17/02/2014, às 01h30

None
1102859768.jpg

Uma bomba lançada contra um ônibus que transportava turistas sul-coreanos próximos à fronteira do Egito com Israel neste domingo, matou três turistas e um motorista egípcio, segundo autoridades locais.Foi o primeiro ataque a turistas desde a saída do presidente islamita Mohamed Mursi em julho, que desencadeou confrontos e uma onda de ataques pelo país.


A bomba explodiu na parte da frente do ônibus na fronteira de Taba, na passagem para Israel, Sinai do Sul, disse o ministro do Interior.O governador de Sinai do Sul, Khaled Fouda, disse à AFP que três mortos eram sul-coreanos e o motorista era egípcio. Ele afirmou também que 13 pessoas ficaram feridas no ataque.


Em Seul, o ministro das Relações Exteriores sul-coreano confirmou a morte de dois sul-coreanos, afirmando que eles eram membros de uma igreja cristã em um tour.Um médico que aguardava um ônibus em um local próximo presenciou a explosão.


“Havia pedaços de corpos e cadáveres. Eu vi o cadáver de um homem que parecia ser coreano, sem uma perna”, disse Ahmed Ali, que possui uma clínica na vizinhança.


A explosão atingiu a frente do ônibus e arrancou partes do teto. O ministro do Interior disse em um comunicado que os turistas vinham do Cairo e estavam esperando para entrar em Israel quando a explosão aconteceu.O ataque provavelmente prejudicará ainda mais o abalado setor de turismo no Egito.


“O terrorismo não tem religião. A polícia e o exército estão trabalhando para eliminá-lo”, disse Fouda.


Um porta-voz da Autoridade de Aeroportos de Israel, que é responsável pela segurança na fronteira, disse à AFP que a fronteira de Taba foi fechada após o incidente.Nenhum grupo assumiu imediatamente a responsabilidade pelo ataque.

Jornal Midiamax