Geral

Arma usada no assassinato do empresário Erlon “era emprestada” do vizinho da quadrilha

A arma usada no assassinato do empresário Erlon Peterson Pereira Bernal, de 32 anos, foi encontrada ontem. Um dos envolvidos do crime, Thiago Henrique Ribeiro, de 21 anos, contou à polícia que pegou emprestado o revólver calibre 38 do vizinho, Jeferson dos Santos Souza, de 21 anos.  O revólver estava enterrado em um terreno baldio, […]

Arquivo Publicado em 11/04/2014, às 16h11

None
1765585834.jpg

A arma usada no assassinato do empresário Erlon Peterson Pereira Bernal, de 32 anos, foi encontrada ontem. Um dos envolvidos do crime, Thiago Henrique Ribeiro, de 21 anos, contou à polícia que pegou emprestado o revólver calibre 38 do vizinho, Jeferson dos Santos Souza, de 21 anos. 

O revólver estava enterrado em um terreno baldio, próximo da casa dos dois, no bairro Dom Antônio Barbosa – na região sudoeste de Campo Grande. “O proprietário da arma teve que nos acompanhar para mostrar o local exato, pois a região tem muito terreno abandonado e cheio de mato”, explica a titular da Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos) e responsável pelo caso, Maria de Lourdes Souza Cano. 
Jeferson está detido na unidade por porte ilegal e posse irregular de arma de fogo. “A princípio a participação dele neste latrocínio foi indireta”, fala e enfatiza, “apesar de não ter registro do revólver, ele teria emprestado a arma que foi essencial para matar a vítima”. 
A delegada revela que ainda não sabe sobre a procedência da arma. “Ainda vamos verificar, se ela é produto de roubo ou furto, o que sabemos no momento é que o suposto dono dela, não tem documentação”, afirma. 
PERÍCIA 
O revólver Taurus, novo, estava municiado com cinco cápsulas, sendo uma usada. “Ele vai passar por uma perícia papiloscópica aqui na delegacia por agora e na segunda-feira, será encaminhado para o Imol (Instituto Médico-Odontológico) onde fará os demais exames”, diz.
ANÚNCIO NA INTERNET
Erlon foi atraído pela quadrilha no dia 1ª de abril por meio de um anuncio da internet, onde ele havia oferecido um Golf, de cor prata. A vítima se encontrou com um dos suspeitos próximo a uma fábrica de refrigerantes, que fica na saída para São Paulo. O criminoso convenceu o empresário de ir até o Bairro São Jorge da Lagoa – área sudoeste da Capital, para mostrar o carro a uma tia, que seria a nova proprietária. 
No local a vítima percebeu que se tratava de um roubo. Na casa da adolescente, ele foi morto com um tiro na cabeça. O corpo foi arrastado até o quintal e jogado em uma vala, ao lado da fossa. Por cima, foi colocado lixo. Já o carro, foi levado para uma funilaria, onde foi pintado de branco e as placas trocadas.
De acordo com a Defurv, os envolvidos no crime são: Thiago Henrique Ribeiro, de 21 anos, que trabalha em uma fábrica de refrigerantes na saída para São Paulo, o pedreiro Jeferson dos Santos Souza, de 21 anos, Rafael Diogo, conhecido como “Tartaruga”, de 21 anos, empregado de uma lavanderia de hospital, e o funileiro Athaíde Pereira, de 50 anos. Além de uma adolescente de 17 anos, que teve a identificação preservada, conforme prevê o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).
Jornal Midiamax