Geral

Após apreensão de dinheiro, Delcídio acusa Reinaldo de ‘Caixa 2’ e pede cassação

Agentes da PRF flagraram ex-vereador com R$ 47 mil em caminhonete e diversas planilhas com nomes de políticos e lideranças. Coligação do PT diz que caso comprovaria "Caixa 2" e quer cassar candidatura do tucano.

Arquivo Publicado em 17/09/2014, às 15h32

None

Agentes da PRF flagraram ex-vereador com R$ 47 mil em caminhonete e diversas planilhas com nomes de políticos e lideranças. Coligação do PT diz que caso comprovaria “Caixa 2” e quer cassar candidatura do tucano.

A coligação ‘Mato Grosso do Sul com a Força de Todos’, liderada por Delcídio do Amaral (PT), pediu à Justiça Eleitoral a cassação da candidatura de Reinaldo Azambuja (PSDB) ao governo do Estado. O pedido tem base investigação sobre valores em dinheiro interceptados por pessoas supostamente ligadas ao tucano e que, conforme suspeita da polícia, seriam usados para cooptar apoio político.

O caso chegou na terça-feira (16) à Justiça Eleitoral. A Polícia Civil investiga, desde o dia 30 de agosto, a origem e o destino de pelo menos R$ 47 mil interceptados, pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), em uma caminhonete na qual estavam pessoas que se identificaram como ligadas a Reinaldo.

Dentro do veículo, parado pela PRF na região de São Gabriel do Oeste, também foram encontradas planilhas com nomes, valores e números de telefone. Entre os contatos estão lideranças políticas de vários municípios do interior do Estado.

Segundo informado pela assessoria de imprensa da coligação petista, a caminhonete onde estava o dinheiro era conduzida por Oclilane Sanches, o Careca, ex-vereador em Maracaju. Ele seria aliado próximo de Reinaldo.

A Justiça Eleitoral ainda não se manifestou sobre o caso. A coligação liderada pelo PT aponta para um suposto esquema de “Caixa 2” de campanha, com objetivo de “compra de votos em troca de apoio político”.

No dia 11 de setembro, o delegado Fábio Magalhães, de São Gabriel, disse ter enviado cópias das planilhas achadas na caminhonete a colegas de municípios vizinhos – um dos objetivos, comentou, é saber a origem e o destino do dinheiro.

Em texto enviado à imprensa nesta quarta, a coligação ‘MS com a força de todos’ revela que a delegada de Coxim, Silvia Elaine Girardi Meck, ouviu o vereador local Adelson Janúncio (PTB) e ele confirmou que receberia R$ 5 mil para custear cabos eleitorais de Reinaldo no município.

A equipe de reportagem entrou em contato com o candidato do PSDB, por volta das 12h30. A informação era de que Reinaldo estava concedendo entrevista a uma rádio e, ao ser informado sobre o assunto do contato, o assessor respondeu que o candidato retornaria a ligação tão logo fosse possível.



Jornal Midiamax