Geral

Advogado de produtores de MS acha praticamente impossível acordo entre União e fazendeiros em 2014

O advogado Newley Amarilla que representa mais da metade de produtores das fazendas da região do Buriti em Sidrolândia (70 quilômetros em Campo Grande), acha praticamente impossível um acordo entre governo Federal e produtores em relação a indenização aos fazendeiros. Produtores rurais das 35 fazendas da região Buriti elaboraram um laudo sobre o valor das […]

Arquivo Publicado em 20/06/2014, às 20h48

None

O advogado Newley Amarilla que representa mais da metade de produtores das fazendas da região do Buriti em Sidrolândia (70 quilômetros em Campo Grande), acha praticamente impossível um acordo entre governo Federal e produtores em relação a indenização aos fazendeiros.

Produtores rurais das 35 fazendas da região Buriti elaboraram um laudo sobre o valor das terras e chegaram à quantia de R$ 124 milhões.

Entretanto, o relatório de avaliação elaborado pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) e Funai (Fundação Nacional do Índio) sobre o território propõe R$ 80 milhões. Ao todo, 15 mil hectares da região estão em discussão.

Amarilla explica que o prazo para pagamentos de precatórios entrarem no orçamento federal para 2015, se encerra no dia 30 de junho. “Além disso o governo quer que os produtores renunciem as benfeitorias e prejuízos”, diz.

A área da Aldeia Buriti, onde vivem cerca de cinco mil indígenas de 12 aldeias, está localizada entre os municípios de Sidrolândia e Dois Irmãos do Buriti. O conflito pelas terras é intenso – e tenso – há pelo menos 15 anos. Em maio do ano passado, o indígena Oziel Gabriel, 36 anos, foi morto em um dos confrontos com os fazendeiros que envolveram homens da Polícia Federal.

Jornal Midiamax