Geral

Acusado de participar de racha que matou um na Duque de Caxias vai a júri hoje

Vai a júri hoje (10), às 8 horas, na 2ª Vara do Tribunal do Júri.  o julgamento de Ryan Douglas Wehner Vieira, 21 anos, acusado de participar de racha na Avenida Duque de Caxias, no dia 31 de março de 2013, que ocasionou a morte de Marcus Vinícius Henrique de Abreu, 22 anos. Ryan, que dirigia um  […]

Arquivo Publicado em 10/03/2014, às 10h26

None
424490733.jpg

Vai a júri hoje (10), às 8 horas, na 2ª Vara do Tribunal do Júri.  o julgamento de Ryan Douglas Wehner Vieira, 21 anos, acusado de participar de racha na Avenida Duque de Caxias, no dia 31 de março de 2013, que ocasionou a morte de Marcus Vinícius Henrique de Abreu, 22 anos.

Ryan, que dirigia um  Citroën C3, estaria alcoolizado e colidiu com o Polo dirigido pela vítima. Os dois estariam disputando racha e o Polo colidiu em poste próximo do mercado Atacadão. A namorada de Marcus, Letícia Souza Santos também estava no Polo e foi hospitalizada.

 De acordo com a denúncia, o réu expôs outras pessoas a risco de morte ao dirigir seu veículo alcoolizado e em alta velocidade, sendo denunciado por homicídio e tentativa de homicídio. O jurí seria realizado em setembro do ano passado, mas foi cancelado após a defesa de Ryan entrar com um recurso no Tribunal de Justiça.

Alegando falta de prova técnica e fundamentos da participação do réu no crime, a defesa pediu desclassificação de homicídio culposo na direção de veículo. Segunda a defesa ainda, Ryan não estava alcoolizado, não deixou o local e prestou a assistência necessária. Com isso, pediu a revogação da prisão preventiva do acusado.

O juiz manteve a denúncia, ressaltando que Ryan expôs a risco a vida de outras pessoas além das vítimas ao conduzir o seu veículo sob o efeito de álcool, em alta velocidade e participando de um “racha”, tanto que o seu veículo adentrou na faixa reservada dos pedestres”.

O caso será decidido hoje com júri popular.

Passeio com policial – Em novembro do ano passado, Ryan foi flagrado ‘passeando’ em uma viatura policial com um investigador lotado na mesma delegacia em que ele estava custodiado. Os dois estavam no bairro Aero Rancho, ameaçando pessoas exibindo uma arma de fogo. Rayan, acusado de disputar o racha com morte, era quem estava na direção da viatura.

(Com informações do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul)

Jornal Midiamax