Geral

Traficantes leiloam virgindade de meninas na Colômbia

A primeira experiência sexual de meninas de 10 a 15 anos está sendo leiloada por líderes dos cartéis de tráfico de drogas de Medellin, na Colômbia, segundo uma reportagem publicada nesta quarta-feira (9) pelo jornal britânico “The Independent”. As meninas mais bonitas das favelas da cidade – chamadas de comunas – são aliciadas, muitas vezes […]

Arquivo Publicado em 10/10/2013, às 20h13

None

A primeira experiência sexual de meninas de 10 a 15 anos está sendo leiloada por líderes dos cartéis de tráfico de drogas de Medellin, na Colômbia, segundo uma reportagem publicada nesta quarta-feira (9) pelo jornal britânico “The Independent”.


As meninas mais bonitas das favelas da cidade – chamadas de comunas – são aliciadas, muitas vezes por outras mulheres, e conquistadas pelo dinheiro fácil.


“Eles oferecem roupas de marca, jantares em restaurantes chiques, uísque da melhor qualidade e cocaína, e as garotas acabam entrando para essa red”, contou ao “Independent” Luis Pardo, diretor da ONG Corporacion Consultoria de Conflicto Urbano (C3).


Uma vez escolhida, ninguém mais pode tocar na jovem. As famílias das garotas também recebem dinheiro e proteção. No entanto, caso se oponham a decisão dos chefões do tráfico, são obrigadas a deixar a favela e, muitas vezes, são alvos de assassinatos.


As meninas acabam perdendo a virgindade para chefões do tráfico e, por fim, se tornam prostitutas. Outras participam de leilões online que contam com a presença de turistas estrangeiros interessados unicamente em visitar a cidade para fazer sexo com menores de idade.


Segundo a reportagem, o governo local tem conhecimento dos leilões, mas não consegue fazer muito para evitá-los.


“Muitas entram para essa vida de maneira voluntária”, afirmou Jesus Sanchez, do departamento de direitos humanos de Medellin.


O traficante Pablo Escobar, morto em 1993, começou com o aliciamento de meninas da cidade. Ele exigia passar as noites com as adolescentes virgens mais bonitas das favelas locais.

Jornal Midiamax