Geral

Rogério Ceni rebate diretor e diz estar 100% fisicamente

A crise no São Paulo parece não ter fim. Nesta sexta-feira, o goleiro Rogério Ceni rebateu, em entrevista à rádio ESPN, as críticas que recebeu do diretor de futebol, Adalberto Baptista, e disse estar 100% fisicamente. O camisa 01 ainda falou que o termo ‘parado no tempo’ foi um alerta para o clube e não […]

Arquivo Publicado em 19/07/2013, às 16h46

None
1563759141.jpg

A crise no São Paulo parece não ter fim. Nesta sexta-feira, o goleiro Rogério Ceni rebateu, em entrevista à rádio ESPN, as críticas que recebeu do diretor de futebol, Adalberto Baptista, e disse estar 100% fisicamente. O camisa 01 ainda falou que o termo ‘parado no tempo’ foi um alerta para o clube e não uma crítica.


“Hoje, meu pé está perfeito, estou 100% e me sinto em perfeitas condições para atuar. No jogo passado, contra o Vitória, tive a felicidade de converter uma falta, por exemplo. O São Paulo não venceu, mas foi importante pra mim”, afirmou Rogério.


Já sobre o termo, utilizado após a final da Recopa, o goleiro explicou que quis apenas fazer um alerta e não criticar a direção são-paulina.


“O ‘parado no tempo’ não foi bem uma crítica, mas um alerta de quem está no clube há 23 anos. Os outros times evoluíram, então é natural que o São Paulo precise estar atento a isso, para que prospere, para que fique na frente. Os outros times viram o São Paulo se desenvolvendo muito e foram atrás do tempo perdido. Foi mais em um tom de alerta do que de crítica”, completou.


O problema começou na última quarta-feira, quando o goleiro disse, após a derrota para o Corinthians, que o clube estava parado no tempo. Um dia depois, o diretor de futebol esteve no CCT da Barra Funda e disse não concordar com as declarações do goleiro. O dirigente ainda aproveitou para criticar a reposição de bola do camisa 01.


“Todos sabem que ele tem uma lesão e que ainda sente dores no pé. Isso ainda o dificulta em seu ponto forte, que são as jogadas com o pé, a reposição de bola, todos veem que ele está com essa deficiência, inclusive pela dor no pé”, falou o dirigente.

Jornal Midiamax