Geral

PRF realiza cinco dias de Operação Carnaval após alteração da Lei Seca

A Operação Carnaval da Polícia Rodoviária Federal (PRF) começa na sexta-feira (8) às 00h00 e encerra na quarta-feira (13) meia noite. Essa vai ser a primeira Operação Carnaval com a nova Lei Seca alterada em dezembro de 2012, e a não obrigatoriedade de utilização de placas de sinalização avisando da presença do radar. Nos 3.409 […]

Arquivo Publicado em 24/01/2013, às 16h02

None

A Operação Carnaval da Polícia Rodoviária Federal (PRF) começa na sexta-feira (8) às 00h00 e encerra na quarta-feira (13) meia noite. Essa vai ser a primeira Operação Carnaval com a nova Lei Seca alterada em dezembro de 2012, e a não obrigatoriedade de utilização de placas de sinalização avisando da presença do radar.


Nos 3.409 quilômetros de Rodovias Federais em Mato Grosso do Sul, a PRF conta com 22 Postos de Fiscalização, e como é praxe em todas operações desse porte, a PRF disponibilizará equipes volantes nos pontos mais sensíveis das rodovias. A PRF sempre realiza levantamentos dos locais mais críticos com relação a acidentes, incidência de ultrapassagens proibidas e outras infrações. Com isso, é facilitado o planejamento para uma fiscalização mais eficiente. Receberão especial atenção a regiões com apelo de festas carnavalescas, quais sejam BR 163 no trecho de Campo Grande a Coxim, e BR 262 sentido Campo Grande Corumbá.


Os equipamentos disponíveis serão dois radares estáticos (fotográfico), 15 radares portáteis, 25 etilômetros (bafômetros), 30 viaturas.


O efetivo contará com reforço de policiais que cumprirão escala especial incluindo efetivo administrativo.


O telefone “24 horas” da Polícia Rodoviária Federal para a comunicação de urgências ou emergências é o “191”.


Dicas de viagem


O motorista deve procurar se informar sobre as distâncias que vai percorrer, pontos de parada, existência de postos de combustíveis e de restaurantes à beira da estrada. Não esquecer sua documentação e do veículo. Condutor e carro em dia são garantias de prosseguimento da viagem;


Revisão preventiva


Providenciar a checagem do automóvel mesmo para pequenas viagens faróis conferidos para ver e ser visto; pneus calibrados e em bom estado; motor revisado, com óleo e nível da água do radiador checados. Não se esquecer de verificar a presença e estado dos equipamentos de porte obrigatório, principalmente pneu estepe, macaco, triângulo e chave de roda, além dos limpadores de para-brisa e luzes do veículo.


Pausas para descanso


O condutor deve programar paradas, pelo menos, a cada três horas. Quem se expõe a muitas horas dirigindo fica sujeito ao fenômeno da “hipnose rodoviária”, na qual se mantém com os olhos abertos, mas sem percepção da realidade à volta. Ela vem acompanhada de sonolência, perda de reflexos e de força motora;


Período noturno


Evitar circular à noite. Além da redução da visibilidade, é o período do dia em que muitos delinquentes se aproveitam para a prática de crimes. Ademais, em caso de pane ou emergência, as opções de socorro, médico ou mecânico, são sempre mais lentas;


Previsão do tempo


Procurar se informar sobre as condições do tempo nos lugares por onde vai passar. O Instituto Nacional de Meteorologia (InMet) disponibiliza gratuitamente informações sobre o tempo no endereço www.inmet.gov.br;


Atenção dobrada


Observar a sinalização que indica os limites de velocidade e as condições de ultrapassagem. As placas não foram colocadas naquele ponto da estrada sem motivo. Nos trechos que enfrentam obras viárias, é fundamental que o motorista reduza a velocidade e obedeça a sinalização local.


No MS, já é possível conferir informações sobre as condições de trânsito em tempo real, através do microblog.twitter PRF191MS


De Ônibus


Embarcar somente em terminais rodoviários homologados, evitando incentivar o transporte clandestino, que não oferece segurança nem garantias em caso de acidentes;


Exigir das empresas de transporte interestadual que todos os passageiros embarcados estejam devidamente identificados, como estabelece a legislação. Da mesma maneira, todas as bagagens devem estar etiquetadas e vinculadas aos respectivos passageiros. Quem utiliza o transporte coletivo também pode exigir cinto de segurança em todos os assentos nos ônibus interestaduais.


Em caso de assalto, NUNCA REAGIR. É importante lembrar que os criminosos agem rapidamente e sob pressão, podendo confundir gestos e movimentos bruscos. O trabalho dos órgãos de segurança pública é constante, mas não onipresente. Os passageiros podem ajudar no trabalho da polícia adotando alguns procedimentos simples. São eles:


1. Não ostentar, nos pontos de partida, joias e outros objetos que possam despertar a cobiça de assaltantes, como celulares, computadores portáteis e reprodutores de mp3, câmeras digitais, entre outros;


2. Os assaltos, quase sempre, são praticados no interior dos ônibus e de forma rápida. Portanto, objetos de valor, como aparelhos de som e imagem, câmeras, computadores, devem seguir nos bagageiros;


3. Discretamente, identificando características dos veículos envolvidos na ocorrência (marca, modelo, cor, etc); procurar sinais particulares, memorizar o tipo roupas físico que utilizam, dos criminosos, bem como;


Os criminosos, em geral, utilizam -se três formas de ação:


1. Embarcam nas rodoviárias, onde conseguem analisar os passageiros e seus objetos de valor, e depois rendem o motorista do ônibus em trechos previamente determinados;


2. Embarcam clandestinamente fora dos pontos regulares de parada. Para isso, se aproveitam da negligência de alguns motoristas de ônibus, que utilizam esta prática como forma de ganhar dinheiro extra (neste caso, o passageiro deve denunciar o condutor à empresa);


3. Abordam os ônibus em trânsito, colocando obstáculos na pista, como troncos, ou usam veículos, quase sempre roubados, para atingir o ônibus em movimento. Excepcionalmente, os marginais também podem se valer da má conservação de alguns trechos das estradas para agir.


Restrições


A proibição acontece nas rodovias de pista simples, sempre nos horários de maior movimento. Como objetivo de proporcionar mais segurança para quem vai viajar no feriado, a Polícia Rodoviária Federal vai restringir o trânsito de veículos com excesso de largura, comprimento ou altura. Com a medida, nos horários de maior movimento (veja na tabela abaixo), a ausência desses veículos de grande porte vai melhorar a trafegabilidade e diminuir os riscos de acidentes graves envolvendo carros de passeio.


O motorista flagrado desrespeitando a restrição será enquadrado no artigo 187 do Código de Trânsito Brasileiro: “Transitar em locais e horários não permitidos pela regulamentação estabelecida pela autoridade competente”, com multa de R$ 85,14, quatro pontos na carteira, mais a retenção até o término do período de proibição. Nos dias e horários na tabela abaixo, independente de portar autorização especial para trânsito (AET) ou não, está proibido o trânsito de veículos com medidas acima de: 18,60m de comprimento, 2,60m de largura e 4,40m de altura.

Jornal Midiamax