Geral

Presidente da OAB rejeita pressão e diz que Ordem segue em rito normal

O presidente da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso do Sul), Julio Cesar Rodrigues, declarou nesta sexta-feira (6) que não vai aceitar pressão de nenhum grupo de advogados. Julio Cesar conta que vem estranhando a situação dentro da Ordem há algum tempo, especialmente desde o dia 9 de outubro, quando diretores e […]

Arquivo Publicado em 06/12/2013, às 20h00

None
1539929457.jpg

O presidente da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso do Sul), Julio Cesar Rodrigues, declarou nesta sexta-feira (6) que não vai aceitar pressão de nenhum grupo de advogados. Julio Cesar conta que vem estranhando a situação dentro da Ordem há algum tempo, especialmente desde o dia 9 de outubro, quando diretores e ex-presidentes lhe enviaram uma portaria para ‘blindar’ seu mandato.

“O que eu posso dizer é que estou estranhando todo essa situação. Desde o dia 9 de outubro quando recebi uma portaria levada por quatro diretores, o Carlos Marques e Carmelino Rezende, os quais diziam que a tal portaria era para ‘blindar o Julio Cesar’. Mas percebi que na verdade não era esse o objetivo. Ai me antecipei e pedi para o Conselho Federal para ser investigado e se tivesse alguma irregularidade que eu fosse punido exemplarmente”, frisou.

O presidente da seccional insistiu em dizer que estranha o comportamento desse grupo de advogados, porque não sabe onde eles pretendem chegar. Contudo, afirma que não praticou nenhum ato ilegal, como o próprio Conselho Federal avaliou.

Questionado se a ‘guerra’ poderia comprometer os trabalhos da Ordem, Julio Cesar foi incisivo em dizer que não deixará que isso aconteça. “Nunca aconteceu e não vai acontecer. Aliás, a aprovação do parecer que aprova a legalidade do relatório da CPI dos contratos, da Câmara de Campo Grande, que investiga o prefeito Alcides Bernal, é a prova que estamos trabalhando normalmente”.

Antes do recesso vou prestar contas da gestão e encaminhar as propostas de 2014 para os advogados. A Ordem não vai sofrer nenhum prejuízo por pressões internas ou externas”, finalizou.

Jornal Midiamax