Geral

Pesquisas com carrapatos impulsionam Simpósio Internacional em MS

Carrapatos. No mundo há quase 900 espécies de carrapatos. Mais assustador do que exibir números, são os prejuízos causados. A espécie Rhipicephalus (Boophilus) microplus, o carrapato-do-boi, no Brasil, é o responsável por muitos estragos nos rebanhos de pecuária de corte e leiteira. A presença desses ectoparasitas causa perda de peso, lesões na pele e no […]

Arquivo Publicado em 22/01/2013, às 20h01

None

Carrapatos. No mundo há quase 900 espécies de carrapatos. Mais assustador do que exibir números, são os prejuízos causados. A espécie Rhipicephalus (Boophilus) microplus, o carrapato-do-boi, no Brasil, é o responsável por muitos estragos nos rebanhos de pecuária de corte e leiteira. A presença desses ectoparasitas causa perda de peso, lesões na pele e no couro, anemia e outras enfermidades e, consequentemente, queda na produção, seja de carne ou leite.



O uso de carrapaticidas é a forma adotada pelos produtores, que abrem mão do recurso quando o nível de infestação está alto. Porém, nessa fase, os animais já estão sob os efeitos negativos dos parasitas e as pastagens também. “Enfim, o controle de carrapatos ocorre de acordo com os critérios de visibilidade da infestação no animal e não por critérios técnicos estratégicos”, alerta o médico-veterinário, pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Renato Andreotti.



“O controle do carrapato não acontece de forma eficiente e ainda promove a disseminação da resistência das populações de carrapatos aos produtos utilizados no seu controle levando ao aumento crescente dos prejuízos econômicos”, continua o pesquisador e “a resistência dos carrapatos em relação aos carrapaticidas disponíveis no mercado constitui-se em motivo de permanente preocupação a todos aqueles setores (produtores, indústria, organismos oficiais, técnicos) envolvidos com o controle desses parasitas, uma vez que, instalada a resistência a um determinado produto ela também ocorrerá para produtos da mesma família ou grupo químico”, detalha.



Tais impasses levaram o pesquisador a conduzir estudos na Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande-MS, que prolongassem a vida dos carrapaticidas disponíveis. No endereço eletrônico http://cloud.cnpgc.embrapa.br/controle-do-carrapato-ms/, o produtor envia para o laboratório da Embrapa amostras de carrapatos encontrados em sua propriedade para identificação de uma possível presença de resistência aos produtos mais utilizados no mercado. Após os exames laboratoriais são disponibilizadas orientações técnicas, conforme os resultados apresentados.



Simpósio



Intensificando as pesquisas, nos dias 15 e 16 de abril, Campo Grande recebe o Simpósio Internacional sobre Controle do Carrapato e Doenças Transmitidas, no auditório Nelore da Embrapa Gado de Corte. O Simpósio pretende atualizar as informações sobre novas tecnologias para o controle do ectoparasita e a epidemiologia das doenças transmitidas.



Entre os palestrantes, estão confirmados os cientistas: Matias Szabó da Universidade Federal de Uberlândia, Rosangela Zacarias Machado da UNESP de Jaboticabal, Marisa Farber do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA) da Argentina, Margaret Saimo-Kahwa da Universidade de Makerere de Uganda, Manuel Rodriguez Valle da Universidade de Queesland da Austrália, Adalberto Perez de Leon do Serviço de Pesquisa Agrícola (ARS) dos Estados Unidos, Roger Iván Rodríguez Vivas da Universidade Autônoma de Yucatan do México, Marcelo Labruna da Universidade de São Paulo e Flábio Araújo Ribeiro da Embrapa.



O Simpósio recebe trabalhos até o dia 28 de fevereiro, através do e-mail [email protected], com premiação para o melhor paper. A inscrição custa R$ 170 reais para profissionais e R$ 100,00 reais para estudantes, com prazo em 31 de janeiro.


Jornal Midiamax