Geral

Pecuarista confirma que pagou R$ 50 mil para matar advogado em Costa Rica

O pecuarista Oswaldo José de Almeida, de 54 anos, está sendo julgado nesta manhã (25) por júri popular como réu confesso de ser o mandante do assassinato do advogado Nivaldo Nogueira de Souza, morto em março de 2009 em Costa Rica. Ele teria pagado R$ 50 mil. O advogado morreu executado com tiros, sendo que […]

Arquivo Publicado em 25/06/2013, às 15h12

None
1133130420.jpg

O pecuarista Oswaldo José de Almeida, de 54 anos, está sendo julgado nesta manhã (25) por júri popular como réu confesso de ser o mandante do assassinato do advogado Nivaldo Nogueira de Souza, morto em março de 2009 em Costa Rica. Ele teria pagado R$ 50 mil.

O advogado morreu executado com tiros, sendo que um o atingiu fatalmente na cabeça, quando saía da lanchonete Cantinho Meu. Três pessoas foram envolvidas no crime e já condenadas, sendo Edoildo Ramos, conhecido como Piá, o executor.

De acordo com Paulo Carneiro, bacharel em Direito, 25 anos, filho de Nivaldo, Oswaldo disse que matou seu pai por vários motivos. “O principal que ele disse era que ele era perseguido, porque ele foi processado por várias pessoas que meu pai era advogado. Mas na verdade ele é a má pessoa. A cidade inteira tem medo dele”, afirmou.

Oswaldo também está sendo acusado por formação de quadrilha. Segundo o advogado de acusação Benedicto de Figueiredo, não é possível prever a pena, pois o réu também está envolvido em outros crimes, entre eles o de ter mandado envenenar sua ex-mulher.

“Desta vez ele não aguentou a pressão e confessou há um mês que mandou matar o Nivaldo e confirmou o fato aqui no júri. Sempre por dinheiro. Perdoar é divino, mas também cabe uma punição com responsabilidade pelo homicídio”, afirmou.

Para Benedicto a defesa deverá pedir delação premiada pelo fato de Oswaldo ter confessado. A audiência, conduzida pelo juiz Carlos Alberto Garcete da 1ª Vara do Tribunal do Júri, está suspensa para almoço e retornará 13h.

Jornal Midiamax