Geral

Novo sistema de iluminação móvel de pistas de pouso será usado durante visita do papa, diz FAB

A Força Aérea Braseira informou nesta segunda-feira (22) que usará o novo sistema de iluminação móvel para sinalizar helipontos e pistas de pouso em regiões remotas durante a visita do papa Francisco ao Brasil. O pontífice desembarca no Rio de Janeiro por volta das 16h, para presidir a Jornada Mundial da Juventude. A medida, como […]

Arquivo Publicado em 22/07/2013, às 14h46

None
1409122117.jpg

A Força Aérea Braseira informou nesta segunda-feira (22) que usará o novo sistema de iluminação móvel para sinalizar helipontos e pistas de pouso em regiões remotas durante a visita do papa Francisco ao Brasil. O pontífice desembarca no Rio de Janeiro por volta das 16h, para presidir a Jornada Mundial da Juventude.


A medida, como explicou a FAB, dará mais segurança nas aproximações dos helicópteros que serão usadas durante os setes dias em que Francisco ficará no país. O sistema, que auxilia os pilotos no pouso e decolagens, foi testado no último sábado (20), em um campo de futebol próximo ao Palácio da Guanabara, na zona sul da capital fluminense.


Para transformar o campo de futebol em um heliponto, 24 luminárias foram dispostas em círculo. Cada uma pesa em torno de 10 quilos, tem autonomia para 350 horas e pode ser acionada por controle remoto ou pelo próprio piloto. A bateria é recarregada com energia solar.


Há ainda opção do uso infravermelho, como acrescenta a FAB. Neste caso, no entanto, apenas os pilotos que utilizam óculos de visão noturna podem visualizar a sinalização. O equipamento deve ser instalado também no Riocentro, na zona oeste do Rio, e na cidade de Aparecida, no interior de São Paulo, onde o pontífice passará a próxima quarta-feira (24).


A nova tecnologia, segundo o tenente-coronel Nelson Rodrigues Perez, chefe da Divisão de Sinalização da Diretoria de Engenharia da Aeronáutica, não depende de gerador, nem de cabos. “Com o sistema é possível balizar pistas de até três mil metros em regiões remotas, como a Amazônia”, exemplifica ele.

Jornal Midiamax