Geral

Neymar começa 2013 ‘voando’ e quebra os próprios recordes em teste

Neymar parece não ter limites. Nos testes físicos de início de ano, ele quebrou os próprios recordes e impressionou a comissão técnica do Santos. No ‘soccer test’, que mede resistência e força, a Joia percorreu cerca de 140 metros a mais que os companheiros. O exercício consiste em várias séries de quatro piques de 15 […]

Arquivo Publicado em 26/01/2013, às 22h08

None

Neymar parece não ter limites. Nos testes físicos de início de ano, ele quebrou os próprios recordes e impressionou a comissão técnica do Santos.

No ‘soccer test’, que mede resistência e força, a Joia percorreu cerca de 140 metros a mais que os companheiros.

O exercício consiste em várias séries de quatro piques de 15 metros cada. O atleta é obrigado a aumentar a velocidade da corrida a cada série e só para quando não aguentar mais.

– O teste dele foi o melhor de todos. Ele perguntou para o preparador qual era o teste dele do ano passado, porque queria bater nesse ano. Ele é assim, quer sempre bater recordes. Bateu o dele e do time todo – declarou o técnico Muricy.

Mais resistente, Neymar tem mais chances de manter seu histórico de nunca ter sofrido uma lesão grave desde que iniciou a carreira profissional, em 2009. Na temporada passada, ele disputou 66 jogos entre Seleção e Peixe e não se ausentou de nenhum por contusão.

Neste início de ano, já reclamou das pancadas, mas tanto ele quanto Muricy acreditam que os rivais estão menos maldosos que em 2012.

– A gente percebe que não está havendo violência, ainda ninguém chegou para machucar. Mas é normal, ele está sempre com a bola, é habilidoso, então vai sempre haver o choque – afirmou Muricy.

Apesar de todo o panorama favorável, Muricy Ramalho ainda pega no pé do craque por alguns pontos. Um deles é o exagero de dribles quando um marcador adversário o está perseguindo em campo.

– Desde que cheguei aqui converso com ele, falo que ele precisa melhorar na armação para não conduzir muito a bola. O time acaba ficando muito distante porque ele acelera demais. Mas às vezes é birra dele com o rival – diz Muricy.

Jornal Midiamax